quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Evangelho do Dia/Santo do Dia

27 de outubro de 2016 – CNBB
1ª Leitura - Ef 6,10-20
Revesti, portanto, a armadura de Deus, a fim de que,
no dia mau, possais resistir e permanecer firmes em tudo.
Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios 6,10-20
10Para terminar, irmãos, confortai-vos no Senhor, e no domínio de sua força,
11revesti-vos da armadura de Deus, para estardes em condições de enfrentar as manobras do diabo.
12Pois não é a homens que enfrentamos, mas as autoridades, os poderes, as dominações deste mundo de trevas, os espíritos do mal que estão nos céus.
13Revesti, portanto, a armadura de Deus, a fim de que no dia mau possais resistir e permanecer firmes em tudo.
14De pé, portanto! Cingi os vossos rins com a verdade, revesti-vos com a couraça da justiça
15e calçai os vossos pés com a prontidão em anunciar o Evangelho da paz.
16Tomai o escudo da fé, o qual vos permitirá apagar todas as flechas ardentes do Maligno.
17Tomai, enfim, o capacete da salvação e o gládio do espírito, isto é, a Palavra de Deus.
18Com preces e súplicas de vária ordem, orai em todas as circunstâncias, no Espírito, e vigiai com toda a perseverança, intercedendo por todos os santos.
19Orai também por mim, para que a palavra seja colocada em minha boca para anunciar corajosamente o mistério do Evangelho,
20do qual sou embaixador acorrentado. Possa eu, como é minha obrigação, proclamá-lo com toda a ousadia.
Palavra do Senhor.
Salmo - Sl 143 (144), 1. 2. 9-10 (R. 1a)
R. Bendito seja o Senhor, meu rochedo!
1Bendito seja o Senhor, meu rochedo, +que adestrou minhas mãos para a luta, *
e os meus dedos treinou para a guerra! R. Bendito seja o Senhor, meu rochedo!
2Ele é meu amor, meu refúgio, *libertador, fortaleza e abrigo;
É meu escudo: é nele que espero, *ele submete as nações a meus pés. R. Bendito seja o Senhor, meu rochedo!
9Um canto novo, meu Deus, vou cantar-vos, *nas dez cordas da harpa louvar-vos,
10a vós que dais a vitória aos reis *e salvais vosso servo Davi. R. Bendito seja o Senhor, meu rochedo!
Evangelho - Lc 13,31-35
Não convém que um profeta morra fora de Jerusalém.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 13,31-35
31Naquela hora, alguns fariseus aproximaram-se e disseram a Jesus:
'Tu deves ir embora daqui, porque Herodes quer te matar.'
32Jesus disse: 'Ide dizer a essa raposa: eu expulso demônios e faço curas hoje e amanhã; e no terceiro dia terminarei o meu trabalho.
33Entretanto, preciso caminhar hoje, amanhã e depois de amanhã, porque não convém que um profeta morra fora de Jerusalém.
34Jerusalém, Jerusalém! Tu que matas os profetas e apedrejas os que te foram enviados! Quantas vezes eu quis reunir teus filhos, como a galinha reúne os pintainhos debaixo das asas, mas tu não quiseste!
35Eis que vossa casa ficará abandonada. Eu vos digo: não me vereis mais, até que chegue o tempo em que vós mesmos direis: Bendito aquele que vem em nome do Senhor.'
Palavra da Salvação.
Reflexão - Lc 13, 31-35
A ameaça de morte não faz com que Jesus se acovarde, a sua resposta é bem clara: "devo prosseguir o meu caminho, pois não convém que um profeta perece fora de Jerusalém". Jesus vai seguir o seu caminho até o fim porque a sua fidelidade ao Pai está acima de todas as coisas, inclusive da sua própria vida, que ele vai entregar livremente em Jerusalém para que o homem seja resgatado do reino da morte. O mundo não quer a vida do profeta, não quer que ele chegue a realizar a sua missão e todos os que são do mundo, religiosos ou não, não toleram a presença do profeta, embora a sua morte contribua para a salvação de todos.
SANTO DO DIA
São Gonçalo de Lagos, homem zeloso e cheio de pureza
Dedicou-se à uma vida de jejuns e penitências enquanto aplicava-se às letras e aos estudos
Este santo português nasceu em Lagos, no Algarve, por volta do ano de 1370. Tomou o hábito de Santo Agostinho no convento da Graça, em Lisboa, aos 20 anos.
Dedicou-se à uma vida de jejuns e de penitências enquanto aplicava-se às letras, aos estudos. Homem zeloso na vivência da Regra Religiosa, virtuoso e cheio de pureza, Gonçalo dedicou-se também à pregação chegando a ser superior de alguns mosteiros da sua Ordem.
O último mosteiro foi o de Torres Vedras, onde morreu em 1422, depois de exortar aos que viviam com ele no mosteiro à observância religiosa e à uma vida virtuosa.

São Gonçalo de Lagos, rogai por nós!