Pular para o conteúdo principal

Impostômetro do RN

Uma noite no único albergue para pessoas em situação de rua de Natal

Novo Jornal
Ainda é dia quando as primeiras pessoas começam a chegar ao pequeno edifício de dois pavimentos no final de uma importante rua do centro da cidade de Natal, capital do Rio Grande do Norte. A passos lentos, muitos chegam sem nada nas mãos, carregando apenas a esperança de conseguir um lugar para passar a noite. É assim dia após dia no Albergue Municipal de Natal.
Alternativa encontrada para suprir as necessidades básicas de quem não tem uma casa para morar, o Albergue é mantido pela Secretaria de Trabalho e Assistência Social e conta, entre outros funcionários, com a presença de psicólogos, assistentes sociais e pedagogos.
As regras são claras: só entra quem tem o nome na lista e é preciso chegar cedo para ter prioridade no acesso, que começa às 19h. A fila, formada até quatro horas antes, chega a ter 90 pessoas em dias de grande movimentação. Apesar disso, apenas 58 (50 homens e 8 mulheres) têm garantido o direito de ter uma cama para dormir, um banheiro compartilhado com chuveiro e duas refeições (a janta e o café da manhã).
Os perfis são diversos, mas a presença masculina predomina. Famílias com crianças não são bem-vindas. Idosos também não. “O albergue só atende pessoas entre 18 e 59 anos. Pessoas que ingeriram bebida alcoólica ou estão sob o efeito de drogas são barradas na portaria. É uma maneira de desestimular o uso”, explica a pedagoga Selma Maria Dantas, que há dois anos trabalha no Albergue.
Ter o nome na lista e ser chamado pelo porteiro do albergue é o sonho diário de dezenas de frequentadores daquela região da cidade. Marcela Bezerra e Eduardo Santos sonhavam com isso naquele dia.
Atentos a cada nome anunciado, o casal, junto há oito meses, guardava a esperança de que dessa vez sobrariam vagas para os dois e a suspensão de quinze dias que Marcela recebeu após doar as sobras do jantar servido pelo Albergue para alguém que ficara do lado de fora fosse anulada. Pouco antes do portão fechar, por volta das 20h, a esperança do casal e da meia dúzia de pessoas que ainda estão do lado de fora vai sendo substituída pelo sentimento de raiva e frustração.
O som do cadeado e da porta de entrada sendo fechados é a sentença final: Marcela e Eduardo não conseguem entrar. Resta agora procurar um lugar para passar a noite.
Leia o texto completo Aqui .

Postagens mais visitadas deste blog

ÁUDIO: Capitão Styverson detona a Polícia Civil diz que agentes e delegados são preguiçosos.

O temido capitão da Lei Seca, Styverson Valetim, que faz um excelente trabalho nas blitzes de trânsito, criticou com veemência os integrantes da Polícia Civil em um áudio que circula pelos grupos de WhatsApp. “Meu trabalho funciona, pois só depende de mim. Não sou vinculado à Polícia Militar”, disse Styverson no áudio, fazendo críticas até a corporação que faz parte. Depois detonou a Polícia Civil: “O Policial Civil ganha muito bem e um delegado ganha R$ 23 mil para não fazer nada”. “Já denunciei as delegacias que não querem trabalhar por preguiça”, diz ainda o Capitão Styverson. (HeitorGregório).

Violência no Rio Grande do Norte - 29.05.2016

Casal aborda e da garupa da motocicleta mulher mata jovem no Igapó 190rn - Um homicídio foi registrado neste sábado no bairro de Igapó, vitimando um jovem identificado como Eduardo, conhecido como “Dudu”, que foi vítima de pelo menos quatro disparos de arma de fogo. Segundo informações de populares, a vítima estava em frente a uma residência quando um casal chegou no local em uma motocicleta e a mulher, que estava na garupa, atirou contra ele.
Após ter sido ferido, ele ainda foi socorrido ao Hospital Santa Catarina, mas não resistiu aos ferimentos, morrendo na unidade hospitalar. Mototaxista é executado dentro de casa em São Paulo do Potengi 190rn - Um homicídio foi registrado na madrugada deste domingo, na cidade de São Paulo do Potengi vitimando um mototaxista identificado como Paulo Sérgio, mais conhecido na cidade como “Rosinha”. A vítima foi alvejada por disparos de arma de fogo, quando estava na sua residência e ainda foi socorrido mais não resistiu aos ferimentos, morrendo antes da c…

Mega Fazenda de Lula na Argentina

Segundo o guia dos pescadores a Mega Fazenda pertence ao ex-presidente da República Luiz Inácio LULA da Silva e seu filho Lulinha. Assistam o vídeo e vejam onde o dinheiro do Brasil, do povo brasileiro está indo parar. (jonasmelloradialista)