terça-feira, 5 de julho de 2016

Evangelho do Dia/Santo do Dia

5 de julho de 2016 – CNBB
1ª Leitura - Os 8,4-7.11-13
Semeiam ventos, colherão tempestades.
Leitura da Profecia de Oséias 8,4-7.11-13
Assim fala o Senhor:
4Eles constituíram reis sem minha vontade; constituíram príncipes sem meu conhecimento; sua prata e seu ouro serviram para fazer ídolos e para sua perdição.
5Teu bezerro, ó Samaria, foi jogado ao chão; minha cólera inflamou-se contra eles. Até quando ficarão sem purificar-se?
6Esse bezerro provém de Israel; um artesão fabricou-o, isso não é um deus; será feito em pedaços, esse bezerro de Samaria.
7Semeiam ventos, colherão tempestades; se não há espiga, o grão não dará farinha; e, mesmo que dê, estranhos a comerão.
11Efraim ergueu muitos altares em expiação do pecado, mas seus altares resultaram-lhe em pecado.
12Eu lhes deixei, por escrito, grande número de preceitos, mas estes foram considerados coisa que não lhes toca.
13Gostam de oferecer sacrifícios, imolam carnes e comem; mas o Senhor não os recebe. Antes, o Senhor lembra seus pecados e castiga suas culpas: eles deverão voltar para o Egito.
Palavra do Senhor.
Salmo - Sl 113B,3-4. 5-6. 7ab-8. 9-10 (9a)
R. Confia, Israel, no Senhor!
Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia
3É nos céus que está o nosso Deus, * ele faz tudo aquilo que quer.
4São os deuses pagãos ouro e prata, * todos eles são obras humanas.R.
5Têm boca e não podem falar, * têm olhos e não podem ver;
6têm nariz e não podem cheirar, * tendo ouvidos, não podem ouvir.R.
7aTêm mãos e não podem pegar, +
7btêm pés e não podem andar; *
8Como eles serão seus autores, * que os fabricam e neles confiam.R.
9Confia, Israel, no Senhor. * Ele é teu auxílio e escudo!
10Confia, Aarão, no Senhor. * Ele é teu auxílio e escudo!R.
Evangelho - Mt 9,32-38
A Messe é grande, mas os trabalhadores são poucos.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo são Mateus 9,32-38
Naquele tempo:
32Apresentaram a Jesus um homem mudo, que estava possuído pelo demônio.
33Quando o demônio foi expulso, o mudo começou a falar. As multidões ficaram admiradas e diziam: 'Nunca se viu coisa igual em Israel.'
34Os fariseus, porém, diziam: 'É pelo chefe dos demônios que ele expulsa os demônios.'
35Jesus percorria todas as cidades e povoados, ensinando em suas sinagogas, pregando o Evangelho do Reino, e curando todo tipo de doença e enfermidade.
36Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam cansadas e abatidas, como ovelhas que nõo têm pastor. Então disse a seus discípulos:
37'A Messe é grande, mas os trabalhadores são poucos.
38Pedi pois ao dono da messe que envie trabalhadores para a sua colheita!'
Palavra da Salvação.
Reflexão - Mt 9, 32-38
Existem pessoas que vivem chorando pelos cantos por causa das ofensas e calúnias das quais são vítimas no trabalho evangelizador. O Evangelho de hoje nos mostra que não deve ser essa a atitude dos discípulos de Jesus. Quando Jesus realiza a expulsão de um demônio, é caluniado, pois afirmam que é pelo poder do mal que ele faz exorcismos. Jesus simplesmente continua a sua caminhada, preocupando-se com o sofrimento e as dores de todos os que encontra pelo caminho e fazendo o bem a todos, olhando a todos com compaixão e preocupando-se porque são como ovelhas que não têm pastor. Assim também devemos ser nós, não devemos viver preocupados com as calúnias que nos são dirigidas, mas sim preocupados em fazer o bem.
SANTO DO DIA
Santo Antônio Maria Zaccaria, apaixonado por Jesus Eucarístico
O santo de hoje foi um grande apaixonado por Jesus Eucarístico e pela Virgem Maria, por isso, santificado e “santificador” de muitos
Antônio Maria, nasceu em Cremona, no norte da Itália em 1502 e, ao perder o pai muito cedo teve de sua mãe o grande gesto de amor que consistiu em dedicar-se somente para sua educação, tanto assim que, com apenas 22 anos, já era médico.
Ele fazia de sua profissão um apostolado, por isso não cuidava só do corpo, mas também da alma dos seus pacientes que eram tratados como irmãos deste médico corajoso, pois viviam em um ambiente impregnado pelo humanismo sem Deus.
Chamado por Cristo, ampliou seu apostolado ao ser ordenado sacerdote e, desta forma, pôde testemunhar Jesus e a unidade da Igreja num tempo em que as ciências de fundo pagão, a decadência das ordens religiosas, do clero, pediam não uma Reforma Protestante, mas sim uma santidade transformadora.
Fundador dos Clérigos Regulares de São Paulo e, com a ajuda de uma condessa, da Congregação das Angélicas de São Paulo, Antônio viveu, comunicou vida num dos períodos mais difíceis da Igreja de Cristo. Depois de muito propagar a devoção a Jesus Eucarístico, por ter trabalhado demais, veio com 37 anos “dormir” nos braços de sua mãe terrestre e acordar nos braços de sua Mãe Celeste.
Santo Antônio Maria Zaccaria, rogai por nós!