domingo, 10 de julho de 2016

Leia: Artigo - João Batista Soares de Lima

Ponto de Vista - O Tanque de Betesda 
O capítulo 5 do Evangelho de João trata de dois temas importantes: a cura de um paralítico e a confissão de Jesus como Filho de Deus. Nessa passagem bíblica, Jesus chega ao tanque de Betesda, onde havia muitos enfermos, cegos, aleijados, coxos, inválidos, que vinham ali procurar curar-se, porque de vez em quando descia um anjo do céu e agitava a água, e o primeiro que entrasse na água após o anjo agitá-la ficava curado de qualquer doença.
Jesus, então, chegou a um homem que há 38 anos era paralítico, e perguntou se o homem queria ser curado. O homem recrutou que não havia quem o ajudasse a entrar na água; por isso, sempre alguém entrava antes dele. Jesus, porém, o curou e o mandou pegar sua maca e andar. Nós que acreditamos na Bíblia, consideramos esse acontecimento como um fato verídico, sem sombra de dúvida.
Mas, fazendo uma analogia e trazendo este acontecimento para os dias atuais, podemos dizer que o tanque é o lugar, interior ou exterior, para onde nos dirigimos em busca de cura para as nossas enfermidades físicas ou espirituais; a água é a palavra de Deus que nos cura de todo o mal; o movimento da água seria o agir do Espírito Santo, através de seus mensageiros – os anjos que nos assistem em carne e osso ou em espírito; os enfermos e inválidos seríamos nós mesmos que, ainda no caminho, trilhamos por veredas que nos levam ao sofrimento, quando ainda não decidimos seguir a Cristo fielmente; a cura se dá quando passamos a viver conforme Seus ensinamentos; a maca é a nossa cruz diária que temos que carregar, são nossas tribulações;
Jesus é o nosso Guia e Mestre, Aquele que nos liberta das ilusões, do engano, do pecado e do mal; este Cristo existe em cada um de nós e fora de nós, é Deus sempre pronto a nos salvar. Não esperemos tanto tempo quanto aquele paralítico esperou para buscarmos o Seu socorro.
O sábado, como qualquer outro dia da semana, é o tempo de você buscar a Deus, e esse tempo é o hoje  – Cristo é senhor do sábado; Ele não está limitado a qualquer circunstância de tempo nem de espaço – todos os dias devem ser consagrados ao Espírito, a Deus, consagrando o nosso trabalho, os nossos estudos, tudo que fizermos a Ele, como se estivéssemos fazendo para Ele.
Os judeus perseguiram Jesus por Ele ter curado no sábado; preferiram observar à lei mosaica a enxergar o amor e a graça de Jesus. Atentemos para não cairmos na mesma armadilha! Não devemos colocar as tradições acima de nossa busca espiritual. Nos versículos 24 e 25 Jesus diz que quem ouve a palavra d’Ele e crê n’Aquele que lhe enviou tem a vida eterna e não será condenado, mas já passou da morte para a vida. E Ele afirma que já chegou a hora em que os mortos ouvirão a Sua voz e viverão.
Mais uma vez Jesus se refere àquelas pessoas que, mesmo vivas fisicamente, estão mortas espiritualmente;  semelhantemente quando Ele respondeu a um de seus discípulos que pedira para enterrar o seu pai. Disse Jesus: “Siga-me, e deixe que os mortos sepultem os seus próprios mortos” (Mateus 8:22). Assim também, muitos dos que hoje estão vivos fisicamente são como mortos, pois não se sentem espírito, vida eterna, essência de Deus. Sentem-se apenas o corpo físico, uma mente limitada.
O Cristo veio exatamente despertar essas pessoas para o ser que elas são, curarem-se de suas enfermidades espirituais – se assim podemos dizer. E somente crendo nos ensinamentos de Cristo, perseverando nesse caminhar, é que o nosso EU vai desabrochar, a nossa luz vai começa a brilhar, e nós passamos a compreender e a compartilhar a paz, o amor e a sabedoria divina, o Reino dos Céus, que está preparado para aqueles que vivem em comunhão com o Pai Celestial.
João Batista Soares de Lima  – Ex secretário de Tributação e Membro da Arca da Aliança – Movimento Cristão.
As opiniões contidas nos artigos são de responsabilidade dos colaboradores