domingo, 10 de julho de 2016

Amanda finaliza Miesha e se torna a primeira brasileira campeã do UFC

Sportv.globo
"Basta acreditar que um novo dia vai raiar, sua hora vai chegar". A música escolhida por Amanda Nunes para entrar no octógono, "Tá Escrito", do Grupo Revelação", anunciou o que estava por vir. A hora da Leoa chegou e chegou em grande estilo. Uma atuação impecável, aliando potência e técnica nos golpes, fez ela se tornar a primeira mulher do país campeã do Ultimate. Aos 3m16s do primeiro assalto, a brasileira finalizou Miesha Tate com um mata-leão e se tornou a nova rainha do peso-galo feminino da organização, na luta principal do UFC 200, na madrugada deste sábado para domingo, na T-Mobile Arena, em Las Vegas (EUA).
Esta foi a 13ª vitória da carreira de Amanda Nunes em 17 lutas. A brasileira venceu o quarto confronto consecutivo e foi a terceira atleta tupiniquim a ter a chance de disputar o cinturão, após Bethe Correira, derrotada por Ronda Rousey, e Cláudia Gadelha, superada nesta sexta-feira por Joanna Jedrzejczyk, terem suas oportunidades. Do outro lado, Tate teve quebrada uma invencibilidade que durava cinco combates. Foi o sexto revés na carreira da Cupcake, que também tem 18 triunfos no cartel.
A luta
A brasileira começou com um chute baixo, seguido de uma esquiva para evitar entrada em queda da campeã. A Leoa conectou um direto de encontro, e Miesha entrou com double leg para derrubar, mas Amanda se levantou rapidamente e deixou uma direita na saída. A americana buscava a luta agarrada e tomou uma invertida, mas a brasileira preferiu ficar de pé e voltou a golpear. As combinações de boxe passaram a entrar com precisão. A Cupcake caiu e sangrava no rosto. Uma entrada em queda fez a Leoa defender e transitar para as costas. Com a voracidade que o apelido explica, ela golpeou a cabeça da rival, colocou os ganchos, encaixou o mata-leão e entrou para a história.