sábado, 4 de junho de 2016

Violência no Rio Grande do Norte

Frentista é morta a tiros e criminoso passa com o carro por cima do corpo
G1 RN - Uma mulher foi morta a tiros na noite desta sexta-feira (3) enquanto trabalhava em um posto de combustíveis na cidade de Caraúbas, na região Oeste do Rio Grande do Norte. A vítima foi identificada como Olívia Tauane Dias, de 25 anos. Ela foi alvo de sete tiros e na fuga o criminoso ainda passou com o carro por cima do corpo da vítima.
De acordo com a Polícia Militar, o crime aconteceu por volta das 21h. Olívia trabalhava como frentista no posto de combustíveis. Os criminosos chegaram ao local em uma Hilux prata. Sem qualquer confusão um dos ocupantes da caminhonete efetuou um disparo na área do posto. Olívia correu, mas foi alcançada e morta do outro lado da rua. Na fuga os criminosos ainda passaram com a caminhonete por cima do corpo de Olívia.
O crime será investigado pelo delegado Erick Gomes. O homicídio pode estar relacionada ao crime organizado que atua na região de Caraúbas. O principal suspeito é um foragido da Justiça que teria participado da morte de um policial militar em Mossoró, durante uma tentativa de assalto no início do ano.
Um morre e outro é socorrido após serem alvejados em Parnamirim
190rn - Um homem foi socorrido e outro não resistiu aos disparos de arma de fogo na noite desta quarta-feira (1) na cidade de Parnamirim. Rodrigo Barbosa da Silva, 21 anos, foi alvejado a tiros na Rua José Bezerril da Silveira, em Passagem de Areia. Segundo a Polícia Militar, dois homens em uma motocicleta efetuaram vários disparos de arma de fogo contra a vítima, que foi socorrida por populares para o Hospital Deoclécio Marques.
No Parque das Orquídeas, Marcel Felipe Ferreira Guedes, 20 anos, foi executado com tiros no rosto. Segundo a PM, a vitima foi surpreendida por dois homens em uma moto que efetuaram disparos de arma de fogo ele. Marcel Felipe não resistiu e morreu antes do socorro médico.
Em ambos os casos diligências foram realizadas, mas ninguém foi preso. Os casos serão investigados pela Polícia Civil.