quinta-feira, 30 de junho de 2016

Evangelho do Dia/Santo do Dia

30 de junho de 2016 – CNBB
1ª Leitura - Am 7,10-17
Vai profetizar para Israel, meu povo.
Leitura da Profecia de Amós 7,10-17
Naqueles dias:
10Amasias, sacerdote de Betel, mandou dizer a Jeroboão, rei de Israel: 'Amós conspira contra ti, dentro da própria casa de Israel; o país não consegue evitar que se espalhem todas as suas palavras.
11Ele anda dizendo: 'Jeroboão morrerá pela espada, e Israel será deportado de sua pátria, como escravo`'.
12Disse depois Amasias a Amós: 'Vidente, sai e procura refúgio em Judá, onde possas ganhar teu pão e exercer a profecia;
13mas em Betel não deverás insistir em profetizar, porque aí fica o santuário do rei e a corte do reino.'
14Respondeu Amós a Amasias, dizendo: 'Não sou profeta nem sou filho de profeta; sou pastor de gado e cultivo sicômoros.
15O Senhor chamou-me, quando eu tangia o rebanho, e o Senhor me disse: 'Vai profetizar para Israel, meu povo`'.
16E agora ouve a palavra do Senhor. Tu dizes: 'Não profetizes contra Israel e não insinues palavras contra a casa de Isaac.
17Pois bem, isto diz o Senhor: 'Tua mulher se prostituirá na cidade, teus filhos e filhas morrerão pela espada, tuas terras serão tomadas e loteadas; tu mesmo morrerás em terra poluída, e Israel será levado em cativeiro para longe de seu país'.
Palavra do Senhor.
Salmo - Sl 18,8. 9. 10. 11 (R.10b)
R. Os julgamentos do Senhor são corretos e justos igualmente.
8A lei do Senhor Deus é perfeita,* conforto para a alma! O testemunho do Senhor é fiel,* sabedoria dos humildes.R.
9Os preceitos do Senhor são precisos,* alegria ao coração. O mandamento do Senhor é brilhante,* para os olhos é uma luz.R.
10É puro o temor do Senhor,* imutável para sempre. Os julgamentos do Senhor são corretos* e justos igualmente.R.
11Mais desejáveis do que o ouro são eles,* do que o ouro refinado. Suas palavras são mais doces que o mel,*
que o mel que sai dos favos.R.
Evangelho - Mt 9,1-8
A multidão glorificou a Deus,
por ter dado tal poder aos homens.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 9,1-8
Naquele tempo:
1Entrando em um barco, Jesus atravessou para a outra margem do lago
e foi para a sua cidade.
2Apresentaram-lhe, então, um paralítico deitado numa cama. Vendo a fé que eles tinham, Jesus disse ao paralítico: 'Coragem, filho, os teus pecados estão perdoados!'
3Então alguns mestres da Lei pensaram: 'Esse homem está blasfemando!'
4Mas Jesus, conhecendo os pensamentos deles, disse: 'Por que tendes esses maus pensamentos em vossos corações?
5O que é mais fácil, dizer: 'Os teus pecados estão perdoados', ou dizer: 'Levanta-te e anda'?
6Pois bem, para que saibais que o Filho do Homem tem na terra poder para perdoar pecados, - disse, então, ao paralítico - 'Levanta-te, pega a tua cama e vai para a tua casa.'
7O paralítico então se levantou, e foi para a sua casa.
8Vendo isso, a multidão ficou com medo e glorificou a Deus, por ter dado tal poder aos homens.
Palavra da Salvação.
Reflexão - Mt 9, 1-8
Onde é mais fácil que vejamos a ação de Deus na nossa vida, quando Deus realiza uma cura ou nos concede alguma graça pela qual suplicamos ou fizemos promessas ou quando ele perdoa os nossos pecados? É claro que ao lermos este texto, afirmamos que é quando ele perdoa nossos pecados, mas a gente não vê as pessoas celebrarem ações de graças quando são perdoadas e sempre vemos celebrações em ação de graças por curas, conquistas e coisas do gênero. Isto tudo nos mostra que intelectualmente sabemos as coisas certas, mas existencialmente vivemos subordinados aos valores do mundo, de modo que somos pessoas divididas entre o que falamos e o que de fato acreditamos. O Evangelho de hoje é para todos nós um convite: precisamos de fato enxergar mais além para valorizarmos mais os verdadeiros dons que Deus nos concede.
SANTO DO DIA
Protomártires da Igreja de Roma
O testemunho dos mártires da nossa Igreja nos recorda o que é essencial para a vida, para o cristão, para sermos felizes em Deus
Depois da solenidade universal dos apóstolos São Pedro e Paulo, a liturgia nos apresenta a memória de outros cristãos que se tornaram os primeiros mártires da Igreja de Roma, por isso, protomártires.
O testemunho dos mártires da nossa Igreja nos recorda o que é essencial para a vida, para o cristão, para sermos felizes em Deus, principalmente nos momentos mais difíceis que todos nós temos. Os mártires viveram tudo em Cristo.
No ano de 64, o imperador Nero pôs fogo em Roma e acusou os cristãos. Naquela época a comunidade cristã, vítima de preconceitos, era tida como uma seita, e inimiga, pois não adoravam o Imperador.
Qualquer coisa que acontecia de negativo, os cristãos eram acusados. Por isso, foram acusados de terem posto fogo em Roma, e a partir daí, no ano 64, começaram a ser perseguidos.
Os escritos históricos em Roma narram que os cristãos eram lançados nas arenas para servirem de espetáculo ao povo, junto às feras. Cobertos de piches, como tochas humanas e muitos outros atos atrozes. E a resposta era sempre o perdão e a misericórdia.
O Papa São Clemente I escreveu: “Nos encontramos na mesma arena e combatemos o mesmo combate. Deixemos as preocupações inúteis e os vãos cuidados e voltemo-nos para a gloriosa e venerável regra da nossa tradição: consideremos o que é belo, o que é bom e o que é agradável ao nosso criador.”
Protomártires da Igreja de Roma, rogai por nós!