quarta-feira, 22 de junho de 2016

Evangelho do Dia/Santo do Dia

22 de junho de 2016 – CNBB
1ª Leitura - 2Rs 22,8-13; 23,1-3
O rei leu diante do povo o conteúdo do livro da Aliança que tinha sido achado na casa do Senhor; e concluiu a aliança diante do Senhor.
Leitura do Segundo Livro dos Reis 22,8-13; 23,1-3
Naqueles dias:
8O sumo-sacerdote Helcias disse ao secretário Safã: 'Achei o livro da Lei na casa do Senhor!' Helcias deu o livro a Safã, que também o leu.
9Então o secretário Safã foi à presença do rei e fez-lhe um relatório nestes termos: 'Os teus servos juntaram o dinheiro que se achou no templo e entregaram-no aos empreiteiros encarregados do templo do Senhor'.
10Em seguida, o secretário Safã comunicou ao rei: 'O sacerdote Helcias entregou-me um livro'. E Safã leu-o diante do rei.
11Ao ouvir as palavras do livro da Lei. o rei rasgou as suas vestes.
12E ordenou ao sacerdote Helcias, a Aicam, filho de Safã, a Acobor, filho de Miquéias, ao secretário Safã e a Asaías, ministro do rei:
13'Ide e consultai o Senhor a meu respeito, a respeito do povo e de todo o Judá, sobre as palavras deste livro que foi encontrado. Grande deve ser a ira do Senhor que se inflamou contra nós, porque nossos pais não obedeceram às palavras deste livro, nem puseram em prática tudo o que nos fora prescrito'.
23,1Então o rei mandou que se apresentassem diante dele todos os anciãos de Judá e de Jerusalém.
2E subiu ao templo do Senhor com todos os homens de Judá e todos os habitantes de Jerusalém, os sacerdotes, os profetas e todo o povo, do maior ao menor. Leu diante deles todo o conteúdo do livro da Aliança que tinha sido achado na casa do Senhor.
3De pé, sobre o seu estrado, o rei concluiu a aliança diante do Senhor, obrigando-se a seguir o Senhor e a observar seus mandamentos, preceitos e decretos, de todo o seu coração e de toda a sua alma, cumprindo as palavras da Aliança escritas naquele livro.
E todo o povo aderiu à Aliança.
Palavra do Senhor.
Salmo - Sl 118, 33. 34. 35. 36. 37. 40 (R. 33a)
R. Ensinai-me a viver vossos preceitos, ó Senhor!
33Ensinai-me a viver vossos preceitos; * quero guardá-los fielmente até o fim!R.
34Dai-me o saber, e cumprirei a vossa lei, * e de todo o coração a guardarei.R.
35Guiai meus passos no caminho que traçastes, * pois só nele encontrarei felicidade.R.
36Inclinai meu coração às vossas leis, * e nunca ao dinheiro e à avareza.R.
37Desviai o meu olhar das coisas vós, * dai-me a vida pelos vossos mandamentos!R.
40Como anseio pelos vossos mandamentos! * Dai-me a vida, ó Senhor, porque sois justo!R.
Evangelho - Mt 7,15-20
Pelos seus frutos vós os conhecereis.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 7,15-20
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
15Cuidado com os falsos profetas: Eles vêm até vós vestidos com peles de ovelha, mas por dentro são lobos ferozes.
16Vós os conhecereis pelos seus frutos. Por acaso se colhem uvas de espinheiros ou figos de urtigas?
17Assim, toda árvore boa produz frutos bons, e toda árvore má, produz frutos maus.
18Uma árvore boa não pode dar frutos maus, nem uma árvore má pode produzir frutos bons.
19Toda árvore que não dá bons frutos é cortada e jogada no fogo.
20Portanto, pelos seus frutos vós os conhecereis.
Palavra da Salvação.
Reflexão - Mt 7, 15-20
Existem profetas que falam o que as pessoas gostam de ouvir e existem profetas que falam o que deve ser dito. O falso profeta é aquele que fala o que a pessoa gosta de ouvir, de modo que ela não muda de vida e não produz fruto algum, vive uma espiritualidade estéril; ele vive de acordo com a situação porque esta lhe é favorável e satisfaz seus interesses. O verdadeiro profeta fala o que a pessoa precisa ouvir para converter-se, mudar de vida e produzir frutos que permaneçam, ele não aceita a situação atual, marcada pelos privilégios e pecados e quer que ela mude, porque o seu interesse é que o Reino de Deus aconteça na história dos homens.
SANTO DO DIA
Santos João Fischer e Tomás More
João Fischer era inglês, chamado por Deus à vida sacerdotal. Fez uma linda caminhada acadêmica até chegar a ser Arcebispo de Rochester.
Foi um homem de grande influência intelectual, cultural e religiosa a partir do seu testemunho. Ele não se vendia: diante do contexto das confusões da Reforma ele já havia se declarado contra. Também escreveu e defendeu a fé católica.
Henrique VIII, por causa de um envolvimento com uma amante, quis que a Igreja declarasse nulo seu casamento. Mas, ao ser analisado pelo Bispo de Rochester, viu-se que não era o caso. Mas com insistência e imposição, Henrique VIII se “auto-declarou” chefe da Igreja da Inglaterra.
Em meio às confusões religiosas e políticas, o testemunho de Fischer indicou a verdade, que nem sempre é acolhida. O Papa já havia escolhido ele para Cardeal, mas Henrique VIII o condenou à morte. E ao ser apresentado para o martírio, São João Fischer deixou claro que era pela fé da Igreja Católica e de Cristo que ele estava ali. E seu sangue foi derramado em 1535.
No mesmo ano, Tomás More, pai de família e de grande influência no meio universitário, era chanceler do rei, mas não se vendeu diante do ato de supremacia de Henrique VIII. Também foi martirizado. Era leal ao rei, mas acima de tudo a Deus. Em 1535 Tomás More foi decapitado. Em meio às confusões, o testemunho faz a diferença.
Santos João Fischer e Tomás More, rogai por nós!