segunda-feira, 20 de junho de 2016

Evangelho do Dia/Santo do Dia

20 de junho de 2016 – CNBB
1ª Leitura - 2Rs 17,5-8.13-15a.18
O Senhor rejeitou Israel para longe da sua face,
restando apenas a tribo de Judá.
Leitura do Segundo Livro dos Reis 17,5-8.13-15a.18
Naqueles dias:
5Salmanasar, rei da Assíria invadiu todo o país. E, chegando a Samaria, sitiou-a durante três anos.
6No nono ano de Oséias, o rei da Assíria tomou Samaria e deportou os habitantes de Israel para a Assíria, estabelecendo-os em Hala e nas margens do Habor, rio de Gozã, e nas cidades da Média.
7Isto aconteceu porque os filhos de Israel pecaram contra o Senhor, seu Deus,
que os tinha tirado do Egito, libertando-os da opressão do Faraó, rei do Egito, porquetinham adorado outros deuses.
8Eles seguiram os costumes dos povos que o Senhor havia expulsado diante deles, e as leis introduzidas pelos reis de Israel.
13O Senhor tinha advertido seriamente Israel e Judá por meio de todos os profetas e videntes, dizendo: 'Voltai dos vossos maus caminhos e observai meus mandamentos e preceitos, conforme todas as leis que prescrevi a vossos pais e que vos comuniquei por intermédio de meus servos, os profetas'.
14Eles, porém, não prestaram ouvidos, mostrando-se tão obstinados como seus pais, que não tinham acreditado no Senhor, seu Deus.
15aDesprezaram as suas leis e a aliança que tinha feito com seus pais, e os testemunhos com que os havia garantido.
18O Senhor indignou-se profundamente contra os filhos de Israel e rejeitou-os para longe da sua face, restando apenas a tribo de Judá.
Palavra do Senhor.
Salmo - Sl 59, 3. 4-5. 12-13 (R. 7b)
R. Vossa mão nos ajude, ouvi-nos Senhor!
3Rejeitastes, ó Deus, vosso povo + e arrasastes as nossas fileiras; * vós estáveis irado: voltai-vos!R.
4Abalastes, partistes a terra, * reparai suas brechas, pois treme.
5Duramente provastes o povo, * e um vinho atordoante nos destes.R.
12se vós, Deus, rejeitais vosso povo * e não mais conduzis nossas tropas? Dai-nos, Deus, vosso auxílio na angústia; * nada vale o socorro dos homens!
13Mas com Deus nós faremos proezas, * e ele vai esmagar o opressor.R.
Evangelho - Mt 7,1-5
Tira primeiro a trave do teu próprio olho.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 7,1-5
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
1'Não julgueis, e não sereis julgados.
2Pois, vós sereis julgados com o mesmo julgamento com que julgardes; e sereis medidos, co a mesma medida com que medirdes.
3Por que observas o cisco no olho do teu irmão, e não prestas atenção à trave que está no teu próprio olho?
4Ou, como podes dizer ao teu irmão: 'deixa-me tirar o cisco do teu olho', quando tu mesmo tens uma trave no teu?
5Hipócrita, tira primeiro a trave do teu próprio olho, e então enxergarás bem para tirar o cisco do olho do teu irmão.
Palavra da Salvação.
Reflexão - Mt 7, 1-5
A maioria das pessoas está mais preocupada com os pecados dos outros do que com os próprios, sempre apresentando o argumento de que os pecados dos outros são mais graves e exigem uma maior preocupação. O trabalho de transformação do mundo deve começar pela transformação e pela conversão pessoal. Se cada pessoa estivesse realmente preocupada com a própria conversão e de fato fizesse tudo o que está ao seu alcance, contando com a graça divina para uma verdadeira mudança de vida, muitos dos problemas que estão presentes na nossa sociedade já estariam superados. Portanto, que cada um olhe para si, se descubra pecador e se converta, para contribuir de fato com a conversão do mundo.
SANTO DO DIA
Bem-aventuradas Teresa, Mafalda e Sancha - mulheres de oração
Teresa, Mafalda e Sancha, filhas de Dom Sancho I e da Rainha Dulce, eram portuguesas.
Teresa, a primogênita, nasceu em 1177. Desde de cedo, muito bem educada, sentiu o chamado à vida religiosa, mas conforme o costume do tempo, acabou sendo dada em casamento com o Rei Afonso e tornou-se Rainha de Lion. Por diversos motivos o casamento foi nulo. Ela voltou pra casa e entrou para a vida religiosa. Afonso não gostou e armou uma guerra contra o pai de Teresa e contra Portugal. Ela, já no convento, consumiu-se na intercessão. Um exemplo a seguir de despojamento e de busca da vontade de Deus.
Mafalda teve momentos parecidos com o de Teresa. Casou com Henrique I, mas este faleceu e ela retornou para casa, despojando-se de seus bens e entrando para a vida religiosa.
Viveu a total dependência de Deus.
Sancha: uma jovem que não se casou como acontecera com suas irmãs. Fundou um convento da Ordem Cisterciense em Coimbra, onde viveu as regras com fidelidade até sua morte.
No ano de 1705, as três irmãs portuguesas foram beatificadas.
Que sigamos o exemplo dessas mulheres de oração, que buscaram a vontade de Deus.
Bem-aventuradas Teresa, Mafalda e Sancha, rogai por nós!