quarta-feira, 1 de junho de 2016

Evangelho do Dia/Santo do Dia

1 de junho de 2016 –CNBB
1ª Leitura - 2Tm 1,1-3.6-12
Exorto-te a reavivar a chama do dom de Deus
que recebeste pela imposição das minhas mãos.
Início da Segunda Carta de São Paulo a Timóteo 1,1-3.6-12
1Paulo, Apóstolo de Jesus Cristo pelo desígnio de Deus referente à promessa de vida que temos em Cristo Jesus,
2a Timóteo, meu querido filho:Graça, misericórdia e paz da parte de Deus Pai e de Cristo Jesus, nosso Senhor!
3Dou graças a Deus,- a quem sirvo com a consciência pura,como aprendi dos meus antepassados -,quando me lembro de ti, dia e noite, nas minhas orações.
6Por este motivo,exorto-te a reavivar a chama do dom de Deus que recebeste pela imposição das minhas mãos.
7Pois Deus não nos deu um espírito de timidez mas de fortaleza, de amor e sobriedade.
8Não te envergonhes do testemunho de Nosso Senhor nem de mim, seu prisioneiro,mas sofre comigo pelo Evangelho,fortificado pelo poder de Deus.
9Deus nos salvou e nos chamou com uma vocação santa,não devido às nossas obras,mas em virtude do seu desígnio e da sua graça,que nos foi dada em Cristo Jesus
desde toda a eternidade.
10Esta graça foi revelada agora,pela manifestação de nosso Salvador, Jesus Cristo.Ele não só destruiu a morte,como também fez brilhar a vida e a imortalidade por meio do Evangelho,
11do qual fui constituído anunciador, apóstolo e mestre.
12Esta é a causa pela qual estou sofrendo,mas não me envergonho,porque sei em quem coloquei a minha fé.E tenho a certeza de que ele é capaz de guardar aquilo que me foi confiado até ao grande dia.
Palavra do Senhor.
Salmo - Sl 122,1-2a. 2bcd (R. 1a)
R. Ó Senhor, para vós eu levanto meus olhos.
1Eu levanto os meus olhos para vós,*que habitais nos altos céus.
2aComo os olhos dos escravos estão fitos*nas mãos do seu senhor.R.
2bComo os olhos das escravas estão fitos*nas mãos de sua senhora,
2cassim os nossos olhos, no Senhor,*
2daté de nós ter piedade.R.
Evangelho - Mc 12,18-27
Ele não é Deus de mortos, mas de vivos!
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 12,18-27
Naquele tempo:
18Vieram ter com Jesus alguns saduceus,os quais afirmam que não existe ressurreição
e lhe propuseram este caso:
19'Mestre, Moisés deu-nos esta prescrição:'Se morrer o irmóo de alguém, e deixar a esposa sem filhos,o irmão desse homem deve casar-se com a viúva,a fim de garantir a descendência de seu irmão.'
20Ora, havia sete irmãos: o mais velho casou-se, e morreu sem deixar descendência.
21O segundo casou-se com a viúva,e morreu sem deixar descendência.E a mesma coisa aconteceu com o terceiro.
22E nenhum dos sete deixou descendência.Por último, morreu também a mulher.
23Na ressurreição, quando eles ressuscitarem,de quem será ela mulher?Por que os sete se casaram com ela!'
24Jesus respondeu:'Acaso, vós não estais enganados,por não conhecerdes as Escrituras, nem o poder de Deus?
25Com efeito, quando os mortos ressuscitarem,os homens e as mulheres não se casarão,pois serão como os anjos do céu.
26Quanto ao fato da ressurreição dos mortos,não lestes, no livro de Moisés,na passagem da sarça ardente, como Deus lhe falou:'Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó'?
27Ora, ele não é Deus de mortos, mas de vivos!Vós estais muito enganados.'
Palavra da Salvação.
Reflexão - Mc 12, 18-27
Tem gente que sente o maior prazer em discutir religião. Essas discussões, na verdade, não significam a busca de uma melhor compreensão da fé com a finalidade de possibilitar uma resposta de qualidade aos apelativos dos valores evangélicos, mas na maioria das vezes se constituem numa discussão sobre posições unilaterais e não negociáveis, muitas vezes posições pessoais, que só servem para aprofundar diferenças e criar divisões e em nada contribuem para que todos possam chegar à verdade, muito menos para viver segundo ela.
SANTO DO DIA
São Justino - Primeiro santo, padre
Se tornou um grande filósofo cristão, sacerdote, um homem que buscou corresponder diariamente a sua fé
Nasceu na Palestina, na cidade de Siquém, em uma família que não conheceu Jesus. Justino buscou com aquilo que tinha, a verdade. Ele tinha essa sede e providencialmente pôs em sua vida um ancião que se aproximou dele para falar sobre a filosofia. E ele apresentou o ‘algo mais’ que faltava a Justino. Falou dos profetas, da fé, da verdade, do mistério de Deus e apresentou Jesus Cristo.
Justino se tornou um grande filósofo cristão, sacerdote, um homem que buscou corresponder diariamente a sua fé. E depois dos padres apostólicos, ele foi intitulado como o primeiro santo, padre. A Sagrada Tradição foi muito testemunhada nos escritos deste santo.
Por inveja e por não aceitar a verdade, um filosofo denunciou São Justino, que foi julgado injustamente, flagelado e por não renunciar a Jesus Cristo, foi decapitado. Isso no ano de 167.
Com fé e razão nós mergulhamos nosso ser no coração de Jesus, modelo e fonte de toda graça, bênção e santidade.
São Justino, rogai por nós!