quarta-feira, 11 de maio de 2016

Evangelho do Dia/Santo do Dia

11 de maio de 2016 – CNBB
1ª Leitura - At 20,28-38
Entrego-vos a Deus e à mensagem de sua graça,
que tem poder para edificar.
Leitura dos Atos dos Apóstolos 20,28-38
Naqueles dias,
Paulo disse aos anciãos da Igreja de Éfeso:
28Cuidai de vós mesmos e de todo o rebanho, sobre o qual o Espírito Santo vos colocou como guardas, para pastorear a Igreja de Deus, que ele adquiriu com o sangue do seu próprio Filho.
29Eu sei, depois que eu for embora, aparecerão entre vós lobos ferozes, que não pouparão o rebanho.
30Além disso, do vosso próprio meio aparecerão homens com doutrinas perversas que arrastarão discípulos atrás de si.
31Por isso, estai sempre atentos: lembrai-vos que durante três anos, dia e noite, com lágrimas, não parei de exortar a cada um em particular.
32Agora entrego-vos a Deus e à mensagem de sua graça, que tem poder para edificar e dar a herança a todos os que foram santificados.
33Não cobicei prata, ouro ou vestes de ninguém.
34Vós bem sabeis que estas minhas mãos providenciaram o que era necessário para mim e para os que estavam comigo.
35Em tudo vos mostrei que, trabalhando deste modo, se deve ajudar os fracos, recordando as palavras do Senhor Jesus, que disse: 'Há mais alegria em dar do que em receber'.'
36Tendo dito isto, Paulo ajoelhou-se e rezou com todos eles.
37Todos, depois, prorromperam em grande pranto e, lançando-se ao pescoço de Paulo, o beijavam,
38aflitos, sobretudo por lhes haver ele dito que não tornariam a ver-lhe o rosto. E o acompanharam até o navio.
Palavra do Senhor.
Salmo - Sl 67, 29-30. 33-35a. 35b-36c (R. 33a)
R. Reinos da terra cantai ao Senhor.
Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia
29Suscitai, ó Senhor Deus, suscitai vosso poder, *confirmai este poder que por nós manifestastes,
30a partir de vosso templo, que está em Jerusalém, *para vós venham os reis e vos ofertem seus presentes!R.
33Reinos da terra, celebrai o nosso Deus, cantai-lhe salmos!*
34Ele viaja no seu carro sobre os céus dos céus eternos.Eis que eleva e faz ouvir a sua voz, voz poderosa.*
35a'Dai glória a Deus e exaltai o seu poder por sobre as nuvens.R.
35bSobre Israel, eis sua glória e sua grande majestade!*
36aEm seu templo ele é admirável.
36bE a seu povo dá poder.*
36cBendito seja o Senhor Deus.R.
Evangelho - Jo 17,11b-19
Para que eles sejam um assim como nós somos um
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo escrito por João 17,11b-19
Naquele tempo:
Jesus ergueu os olhos ao céu e disse:
11b'Pai santo, guarda-os em teu nome, o nome que me deste, para que eles sejam um
assim como nós somos um.
12Quando eu estava com eles, guardava-os em teu nome, o nome que me deste.
Eu guardei-os e nenhum deles se perdeu, a não ser o filho da perdição, para se cumprir a Escritura.
13Agora, eu vou para junto de ti, e digo estas coisas, estando ainda no mundo, para que eles tenham em si a minha alegria plenamente realizada.
14Eu lhes dei a tua palavra, mas o mundo os rejeitou, porque não são do mundo, como eu não sou do mundo.
15Não te peço que os tires do mundo, mas que os guardes do Maligno.
16Eles não são do mundo, como eu não sou do mundo.
17Consagra-os na verdade; a tua palavra é verdade.
18Como tu me enviaste ao mundo, assim também eu os enviei ao mundo.
19Eu me consagro por eles, a fim de que eles também sejam consagrados na verdade'.
Palavra da Salvação.
Reflexão - Jo 17, 11b-19
Jesus, antes de partir, ora ao Pai por todos nós. Ele sabe que todos nós precisamos da graça divina para permanecer fiéis a Deus. Os valores que nós acreditamos não são os valores do mundo, e o mundo nos odeia porque não acreditamos nos seus valores. Os nossos valores atrapalham os interesses de quem é deste mundo, pois este mundo é marcado pelo egoísmo, pelo ódio, pela mentira e pela morte, enquanto que nós pregamos o amor, a solidariedade, a verdade e a vida em abundância. Nós não devemos fugir dos desafios do mundo, mas sim transformar o mundo através dos valores que acreditamos.
SANTO DO DIA
Santo Inácio de Láconi, exemplo vivo da pobreza
Tinha o verdadeiro espírito franciscano: exemplo vivo da pobreza, entretanto de absoluta disponibilidade aos pobres e desamparados
Francisco Inácio Vincenzo Peis, o segundo de nove irmãos, nasceu na cidade de Láconi, Itália, no dia 17 de novembro de 1701. Seus pais eram muito pobres, mas ricos de virtudes humanas e cristãs, educando os filhos no fiel seguimento de Jesus Cristo.
Inácio, desde a infância, sentiu um forte chamado para a vida religiosa. Possuía dons especiais de profecia, de cura e um forte carisma. Costumava praticar severas penitências, mantendo seu espírito sereno e alegre, em estreita comunhão com Cristo.
Antes de completar os vinte anos de idade, ele adoeceu gravemente e por duas vezes quase morreu. Nessa ocasião, decidiu que seguiria os passos de São Francisco de Assis e se dedicaria aos pobres e doentes, se ficasse curado. E assim o fez. Foi para a cidade de Cagliari para viver entre os frades capuchinhos do Convento do Bom Caminho. Mas não pôde ser aceito, devido à sua frágil saúde. Depois de totalmente recuperado, em 1721, vestiu o hábito dos franciscanos.
Frei Inácio de Láconi, como era chamado, foi enviado para vários conventos e, após quinze anos, retornou ao Convento do Bom Caminho em Cagliari, onde permaneceu em definitivo. Ali, ficou encarregado da portaria, função que desempenhou até à morte. Tinha o verdadeiro espírito franciscano: exemplo vivo da pobreza, entretanto de absoluta disponibilidade aos pobres, aos desamparados, aos doentes físicos e aos doentes espirituais, ou seja, aos pecadores, muitos dos quais conseguiu recolocar no caminho cristão.
Durante seus últimos cinco anos de vida, Inácio ficou completamente cego. Mesmo assim continuou cumprindo com rigor a vida comum com todos os regulamentos do convento. Morreu no dia 11 de maio de 1781. Depois da morte, a fama de sua santidade se fortaleceu com a relação dos milagres alcançados pela sua intercessão.
Frei Inácio de Láconi foi beatificado pelo Papa Pio XII em 1940 e depois canonizado por este mesmo Santo Padre em 1951. O dia designado para sua celebração litúrgica foi o de sua morte: 11 de maio.
Santo Inácio de Láconi, rogai por nós!