Pular para o conteúdo principal

Impostômetro do RN

'Sou feliz', diz vigilante que ficou paraplégico ao levar tiro em assalto

G1 RN - O vigilante Jeimyson Nunes de Azevedo, de 26 anos, que ficou paraplégico ao ser baleado no pescoço durante um assalto na farmácia em que trabalhava, crime ocorrido no dia 4 deste mês na Zona Norte de Natal, gravou um vídeo para dizer que vai, por meio da igreja, ajudar pessoas a superarem dificuldades. “Tá vendo o meu sorriso? Eu corro o risco de nunca mais me movimentar, mesmo assim sou feliz. Deus quer fazer você ser mais do que vencedor. Se não consegue sozinho, se prepare. Estou chegado aí para te ajudar”, disse ele.
O vídeo, feito no hospital, foi postado nas redes sociais pela irmã dele. Jeize Nunes autorizou o G1 a utilizar a gravação como forma de mostrar que ele, apesar do que aconteceu, está bem e se sente confiante. "Vídeo Tribuna do Norte"
“Amados, boa tarde. Acredito que muitos de vocês me conheçam; outros, nem tanto. Mas quero deixar claro que estou muto bem, viu? Muito bem”, disse Jeimyson logo no início do vídeo. “Quero deixar claro uma verdade. Na vida, existe duas formas de se viver: você consegue viver tendo as coisas e você consegue viver sendo alguma coisa. Muitos anos da minha vida eu vivenciei tendo muitas coisas, mas nunca fui nada. E, devido isso que aconteceu, o Espírito Santo ministrou meu coração e me fez entender que eu não posso ter nada, mas eu sendo alguma coisa eu sou feliz”, acrescentou.
“Tá vendo o meu sorrido? Eu corro o risco de nunca mais me movimentar, mesmo assim sou feliz, porque hoje eu sou mais do que vencedor em Cristo Jesus. Portanto, não baixem a cabeça. Levantem-se. Façam alguma coisa. Só você podem mudar essa história. Deus quer fazer você ser mais do que vencedor. Se não consegue sozinho, se prepare. Estou chegado aí para te ajudar. Obrigado. Valeu, amados. Paz!”, finalizou.
O caso
Vigilante da Prosegur, Jeimyson Nunes de Azevedo, 26 anos, foi baleado no pescoço na noite do dia 4 deste mês dentro de uma farmácia na Avenida João Medeiros Filho, uma das mais movimentadas da Zona Norte da capital potiguar. Ele estava trabalhando na segurança do estabelecimento quando dois criminosos o renderam e roubaram a arma e o colete dele. Na fuga, mesmo sem que Jeimyson tenha esboçado qualquer reação, um dos assaltantes apontou a arma e atirou. A bala acertou o pescoço dele, atingindo também a coluna cervical.
Na última sexta-feira (8), um adolescente de 16 anos se apresentou à 12ª Delegacia de Polícia Civil e confessou participação no assalto. O suspeito foi ouvido e liberado.
"O depoimento do adolescente explicou todo o crime. O fato novo é que o assalto era tão somente para roubar a arma do vigilante. Outro fato novo é que houve um terceiro participante que ficou na parte externa, em um veículo, aguardando a saída deles depois que realizassem o assalto", disse o delegado Francisco Jodelci Pinheiro.
Ainda de acordo com o delegado, a participação do adolescente no crime foi filmada pelas câmeras de segurança da farmácia. Segundo Pinheiro, o adolescente aparece nas imagens usando um boné amarelo. Ele retira a arma e o colete do vigilante.
Em relação ao comparsa, o que atirou (veja vídeo ao lado), o garoto contou à polícia que o conheceu poucos dias antes do crime e que o objetivo era apenas roubar a arma do vigilante. "Ele disse que conheceu o atirador há cerca de 20 ou 30 dias. Estavam em um show, combinaram o assalto e ele aceitou. O terceiro deu todas as informações referentes ao local do fato. Ele disse também que a intenção não era atirar", explicou. 
O adolescente também disse que depois da ação criminosa questionou o comparsa sobre o disparo. "Depois que realizaram o assalto, ele questionou o porquê do disparo, no entanto, o homem que atirou disse que temeu que o vigilante achasse que aquela arma que ele estava, que era uma pistola, fosse uma arma de brinquedo", acrescentou.

Postagens mais visitadas deste blog

ÁUDIO: Capitão Styverson detona a Polícia Civil diz que agentes e delegados são preguiçosos.

O temido capitão da Lei Seca, Styverson Valetim, que faz um excelente trabalho nas blitzes de trânsito, criticou com veemência os integrantes da Polícia Civil em um áudio que circula pelos grupos de WhatsApp. “Meu trabalho funciona, pois só depende de mim. Não sou vinculado à Polícia Militar”, disse Styverson no áudio, fazendo críticas até a corporação que faz parte. Depois detonou a Polícia Civil: “O Policial Civil ganha muito bem e um delegado ganha R$ 23 mil para não fazer nada”. “Já denunciei as delegacias que não querem trabalhar por preguiça”, diz ainda o Capitão Styverson. (HeitorGregório).

Violência no Rio Grande do Norte - 29.05.2016

Casal aborda e da garupa da motocicleta mulher mata jovem no Igapó 190rn - Um homicídio foi registrado neste sábado no bairro de Igapó, vitimando um jovem identificado como Eduardo, conhecido como “Dudu”, que foi vítima de pelo menos quatro disparos de arma de fogo. Segundo informações de populares, a vítima estava em frente a uma residência quando um casal chegou no local em uma motocicleta e a mulher, que estava na garupa, atirou contra ele.
Após ter sido ferido, ele ainda foi socorrido ao Hospital Santa Catarina, mas não resistiu aos ferimentos, morrendo na unidade hospitalar. Mototaxista é executado dentro de casa em São Paulo do Potengi 190rn - Um homicídio foi registrado na madrugada deste domingo, na cidade de São Paulo do Potengi vitimando um mototaxista identificado como Paulo Sérgio, mais conhecido na cidade como “Rosinha”. A vítima foi alvejada por disparos de arma de fogo, quando estava na sua residência e ainda foi socorrido mais não resistiu aos ferimentos, morrendo antes da c…

Mega Fazenda de Lula na Argentina

Segundo o guia dos pescadores a Mega Fazenda pertence ao ex-presidente da República Luiz Inácio LULA da Silva e seu filho Lulinha. Assistam o vídeo e vejam onde o dinheiro do Brasil, do povo brasileiro está indo parar. (jonasmelloradialista)