Pular para o conteúdo principal

Impostômetro do RN

Sem apresentar provas, Paulinho da Força acusa governo de oferecer dinheiro contra impeachment

O Globo - Sem apresentar provas, o deputado Paulinho Pereira da Silva (SD-SP), o Paulinho da Força, acusou o governo de oferecer dinheiro a deputados para não virem votar o impeachment ou votarem contra o processo. O deputado é presidente nacional do Solidariedade e da Força Sindical e um dos mais ferrenhos adversários do governo Dilma Rousseff. Sem dar maiores explicações ou dizer quem teria recebido a oferta, Paulinho disse que o governo está oferecendo R$ 400 mil para deputados se ausentarem das votações e ofereceu ontem R$ 2 milhões a um único deputado para votar contra o processo.
— É mais ou menos o que o PT faz a vida toda: engana todo mundo. Os parlamentares que estão aqui nesse troca-troca (cargos) têm que saber disso: o governo oferece mas não cumpre. Porque, se cumprir, imagina como será depois: pagar R$ 400 mil para um deputado ficar em casa, pra não vir votar. Em seguida, como ela governa o Brasil com menos de 171 votos? É o caos no país — disse Paulinho, quando respondia à pergunta sobre a ação do governo em oferecer cargos aos aliados em entrevista coletiva no Salão Verde da Câmara.
Os jornalistas então quiseram saber dos detalhes do pagamento dos R$ 400 mil pelo governo e o deputado, já deixando o local da entrevista, afirmou que o governo "está oferecendo" e acrescentou:
— Ontem ofereceram 2 milhões para um deputado só.
Paulinho, no entanto, avisou que não falaria quem é o deputado, apesar da insistência dos jornalistas para que apresentasse o nome do deputado a que estava se referindo. Um dos aliados mais próximos do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, Paulinho foi responsável por capitanear, no ano passado, as manifestações mais fortes e polêmicas contra o governo na Câmara. Entre elas, a manifestação em que sindicalistas da Força Sindical jogaram sobre o plenário da Câmara papeis imitando cédulas de dólar com a cara de Dilma, Lula e onde se lia petrodólar, em votação de MP que restringia o acesso ao seguro-desemprego no ano passado.
Na entrevista, Paulinho anunciou que a partir de quinta-feira serão colocados carros de som nas casas e bairros dos deputados indecisos e contrários ao impeachment da presidente Dilma Rousseff. Segundo ele, a oposição está mapeando voto a vota, pelas contas deles são 39 indecisos e entre 90 e 95 contrários e os caminhões serão deslocados para as casas e bairros dos indecisos e contrários, para que a população saiba como estão votando seus deputado
— A partir de quinta-feira vamos colocar caminhões de som nas portas de cada um dos deputados que estão se entregando aqui e estão negociando. Aqueles que estão indecisos e os que estão contrários. Os que estão indecisos vamos avisar a vizinhança, os eleitores dos que estão indecisos e pressionar para que eles votem aqui. Vamos colocar carros de som nas casas, nos bairros, onde eles têm voto e não só nos estados, mas em Brasília também — disse o deputado, acrescentando:
— Estamos na reta final, é preciso que a população e os eleitores saibam como está votando seu deputado. O Brasil está parado, temos desemprego, recessão e tem deputado vacilando aqui na Casa.
Segundo Paulinho, os carros de som serão pagos pelos partidos que estão a favor do impeachment e também serão usados carros de sindicatos:
— Amanhã, o relator apresenta relatório. Vamos votar. É preciso que todos se posicionem claramente. Os partidos que defendem o impeachment vão pagar, carros de sindicalistas. Não sei como vão pagar, mas provavelmente com fundo partidário. Acho que, pode usar para pagar, estamos vendo se é possível juridicamente.

Postagens mais visitadas deste blog

ÁUDIO: Capitão Styverson detona a Polícia Civil diz que agentes e delegados são preguiçosos.

O temido capitão da Lei Seca, Styverson Valetim, que faz um excelente trabalho nas blitzes de trânsito, criticou com veemência os integrantes da Polícia Civil em um áudio que circula pelos grupos de WhatsApp. “Meu trabalho funciona, pois só depende de mim. Não sou vinculado à Polícia Militar”, disse Styverson no áudio, fazendo críticas até a corporação que faz parte. Depois detonou a Polícia Civil: “O Policial Civil ganha muito bem e um delegado ganha R$ 23 mil para não fazer nada”. “Já denunciei as delegacias que não querem trabalhar por preguiça”, diz ainda o Capitão Styverson. (HeitorGregório).

Violência no Rio Grande do Norte - 29.05.2016

Casal aborda e da garupa da motocicleta mulher mata jovem no Igapó 190rn - Um homicídio foi registrado neste sábado no bairro de Igapó, vitimando um jovem identificado como Eduardo, conhecido como “Dudu”, que foi vítima de pelo menos quatro disparos de arma de fogo. Segundo informações de populares, a vítima estava em frente a uma residência quando um casal chegou no local em uma motocicleta e a mulher, que estava na garupa, atirou contra ele.
Após ter sido ferido, ele ainda foi socorrido ao Hospital Santa Catarina, mas não resistiu aos ferimentos, morrendo na unidade hospitalar. Mototaxista é executado dentro de casa em São Paulo do Potengi 190rn - Um homicídio foi registrado na madrugada deste domingo, na cidade de São Paulo do Potengi vitimando um mototaxista identificado como Paulo Sérgio, mais conhecido na cidade como “Rosinha”. A vítima foi alvejada por disparos de arma de fogo, quando estava na sua residência e ainda foi socorrido mais não resistiu aos ferimentos, morrendo antes da c…

Mega Fazenda de Lula na Argentina

Segundo o guia dos pescadores a Mega Fazenda pertence ao ex-presidente da República Luiz Inácio LULA da Silva e seu filho Lulinha. Assistam o vídeo e vejam onde o dinheiro do Brasil, do povo brasileiro está indo parar. (jonasmelloradialista)