terça-feira, 26 de abril de 2016

RN tem 10 anos para implantar laboratório criminal de DNA, diz TJ

G1 RN - A Justiça do Rio Grande do Norte determinou que o Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) implante, com prazo máximo de 10 anos, um laboratório criminal de DNA para possibilitar a coleta e armazenamento de perfis genéticos em banco de dados. Além disso, o Estado também deve oferecer a identificação criminal por impressão digital e fotográfica em todas as delegacias da Polícia Civil.
A determinação atende ao pedido do Ministério Público em Ação Civil Pública para garantia do cumprimento da lei que faz necessária a identificação criminal dos acusados por meio fotográfico, genético e por impressão digital. Um inquérito civil do MP constatou que nenhuma delegacia potiguar realiza a identificação criminal na forma dentro da lei, sequer dispondo de máquinas fotográficas em seu acervo.
Atualmente, o Rio Grande do Norte realiza os exames de DNA para identificação criminal graças à ajuda do Instituto de Medicina Legal (IML) de Salvador, na Bahia.