Pular para o conteúdo principal

Impostômetro do RN

Justiça determina que mineradora paralise atividades em Monte Alegre

TJRN - A juíza Flávia Sousa Dantas Pinto, da comarca de Monte Alegre, determinou à empresa União Brasileira de Agregados LTDA. a imediata paralisação da atividade de desmonte de rochas com explosivos (denotações) e de britagem, até determinação judicial posterior, sob pena de incidência de multa diária fixada em R$ 50 mil por cada ato caracterizador de descumprimento à determinação. A juíza concedeu aos autores liminar inaudita altera pars (quando a outra parte não é ouvida no processo antes da decisão). “No que tange ao perigo de dano, este é evidente. O dano a que estão sujeitos os requerentes é patente. Além dos danos estruturais às residências, ao sossego e ao direito à habitação dos autores se mostra evidenciado nos autos”, concluiu a magistrada.
Alegações dos autores
Os autores informaram na ação judicial que fazem parte da comunidade que reside no Sítio Timbaúba, em Monte Alegre, e que "toda a harmonia, sossego e tranquilidade outrora existentes naquela localidade foram subtraídos dos autores desde agosto de 2013", após a instalação e início das atividades da União Brasileira de Agregados LTDA na região.
Eles afirmaram que "os principais aspectos relacionados à atividade e que atingem diretamente os demandantes são decorrentes do excesso de poluição sonora, desconforto decorrente de vibração, bem como as consequências de tal vibração nos imóveis dos suplicantes e no desenvolvimento de suas atividades enquanto agricultores".
Alegaram ainda que “os imóveis dos autores se apresentam, em sua habitabilidade, comprometidos e que os danos ocasionados aos imóveis dos autores tendem a evoluir caso não sejam cessadas as atividades da ré”. Apontam ainda que até a criação de animais que desenvolviam teve que ser paralisada, pois os animais não se adaptaram ao cenário que se configurou após o início das atividades da empresa. Fundaram suas alegações no direito ao meio ambiente equilibrado e no direito à vizinhança.
Decisão
Ao analisar a demanda, a magistrada Flávia Sousa Dantas Pinto verificou que a verossimilhança das alegações encontra-se provada pela documentação juntada aos autos, vez que amplamente demonstrado, através de fotos, vídeos e inclusive de um laudo técnico, que as atividades da empresa estão prejudicando sobremaneira os proprietários circunvizinhos, os quais se encontram com suas residências danificadas e, portanto, com seu direito a uma habitação digna e segura comprometido.
“De fato, por mais que alguns dos danos causados sejam intrínsecos à atividade realizada pela empresa ré, é inegável que os referidos danos podem e devem ser minimizados, para que possa existir convivência pacífica entre a demandada e as pessoas que residem ao seu redor”, comentou.
A juíza Flávia Dantas ressaltou em sua decisão que não convém no momento discutir acerca do mérito da demanda, mas considera importante ressaltar que o direito no qual os autores fundam seu pleito é forte, por se apresentar como elemento viabilizador de dignidade humana e, portanto, de um direito fundamental, não podendo o exercício do direito à livre iniciativa de uns servir de pressuposto para a exclusão de outrem, às custas do vilipêndio do direito à moradia, atingindo-lhes no mínimo existencial.
Fotos:Portaln10

Postagens mais visitadas deste blog

ÁUDIO: Capitão Styverson detona a Polícia Civil diz que agentes e delegados são preguiçosos.

O temido capitão da Lei Seca, Styverson Valetim, que faz um excelente trabalho nas blitzes de trânsito, criticou com veemência os integrantes da Polícia Civil em um áudio que circula pelos grupos de WhatsApp. “Meu trabalho funciona, pois só depende de mim. Não sou vinculado à Polícia Militar”, disse Styverson no áudio, fazendo críticas até a corporação que faz parte. Depois detonou a Polícia Civil: “O Policial Civil ganha muito bem e um delegado ganha R$ 23 mil para não fazer nada”. “Já denunciei as delegacias que não querem trabalhar por preguiça”, diz ainda o Capitão Styverson. (HeitorGregório).

Violência no Rio Grande do Norte - 29.05.2016

Casal aborda e da garupa da motocicleta mulher mata jovem no Igapó 190rn - Um homicídio foi registrado neste sábado no bairro de Igapó, vitimando um jovem identificado como Eduardo, conhecido como “Dudu”, que foi vítima de pelo menos quatro disparos de arma de fogo. Segundo informações de populares, a vítima estava em frente a uma residência quando um casal chegou no local em uma motocicleta e a mulher, que estava na garupa, atirou contra ele.
Após ter sido ferido, ele ainda foi socorrido ao Hospital Santa Catarina, mas não resistiu aos ferimentos, morrendo na unidade hospitalar. Mototaxista é executado dentro de casa em São Paulo do Potengi 190rn - Um homicídio foi registrado na madrugada deste domingo, na cidade de São Paulo do Potengi vitimando um mototaxista identificado como Paulo Sérgio, mais conhecido na cidade como “Rosinha”. A vítima foi alvejada por disparos de arma de fogo, quando estava na sua residência e ainda foi socorrido mais não resistiu aos ferimentos, morrendo antes da c…

Mega Fazenda de Lula na Argentina

Segundo o guia dos pescadores a Mega Fazenda pertence ao ex-presidente da República Luiz Inácio LULA da Silva e seu filho Lulinha. Assistam o vídeo e vejam onde o dinheiro do Brasil, do povo brasileiro está indo parar. (jonasmelloradialista)