sexta-feira, 29 de abril de 2016

Evangelho do Dia/Santo do Dia

29 de abril de 2016 – CNBB
1ª Leitura - At 15,22-31
Decidimos, o Espírito Santo e nós, não vos impor
nenhum fardo, além das coisas indispensáveis.
Leitura dos Atos dos Apóstolos 15,22-31
Naqueles dias:
22Pareceu bem aos apóstolos e aos anciãos, de acordo com toda a comunidade de Jerusalém, escolher alguns da comunidade para mandá-los a Antioquia, com Paulo e Barnabé. Escolheram Judas, chamado Bársabas, e Silas, que eram muito respeitados pelos irmãos.
23Através deles enviaram a seguinte carta: 'Nós, os apóstolos e os anciãos, vossos irmãos, saudamos os irmãos vindos do paganismo e que estão em Antioquia e nas regiões da Síria e da Cilícia.
24Ficamos sabendo que alguns dos nossos causaram perturbações com palavras que transtornaram vosso espírito. Eles não foram enviados por nós.
25Então decidimos, de comum acordo, escolher alguns representantes e mandá-los até vós, junto com nossos queridos irmãos Barnabé e Paulo,
26homens que arriscaram suas vidas pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo.
27Por isso, estamos enviando Judas e Silas, que pessoalmente vos transmitirão a mesma mensagem.
28Porque decidimos, o Espírito Santo e nós, não vos impor nenhum fardo, além destas coisas indispensáveis:
29abster-se de carnes sacrificadas aos ídolos, do sangue, das carnes de animais sufocados e das uniões ilegítimas. Vós fareis bem se evitardes essas coisas.
Saudações!'
30Depois da despedida, Judas e Silas foram para Antioquia, reuniram a assembléia e entregaram a carta.
31A sua leitura causou alegria, por causa do estímulo que trazia.
Palavra do Senhor.
Salmo - Sl 56, 8-9. 10-12 (R. 10a)
R. Vou louvar-vos, Senhor, entre os povos.
Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia
8Meu coração está pronto, meu Deus, *está pronto o meu coração!
9Vou cantar e tocar para vós: *desperta, minh'alma, desperta!
Despertem a harpa e a lira, *eu irei acordar a aurora!R.
10Vou louvar-vos, Senhor, entre os povos, *dar-vos graças, por entre as nações!
11Vosso amor é mais alto que os céus, *mais que as nuvens a vossa verdade!
12Elevai-vos, ó Deus sobre os céus, *vossa glória refulja na terra!R.
Evangelho - Jo 15,12-17
Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 15,12-17
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
12Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei.
13Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos.
14Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando.
15Já não vos chamo servos, pois o servo não sabe o que faz o seu senhor. Eu chamo-vos amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai.
16Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi e vos designei para irdes e para que produzais fruto e o vosso fruto permaneça. O que, então, pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo concederá.
17Isto é o que vos ordeno: amai-vos uns aos outros.
Palavra da Salvação.
Reflexão - Jo 15, 12-17
Jesus não quer que nós sejamos seus servos, mas seus amigos. O servo trabalha em função do seu salário e não tem nenhum compromisso com o seu senhor além do vínculo do trabalho. O amigo é comprometido com o outro, acredita nos seus valores e luta com ele na conquista de um ideal comum. Assim, quando Jesus nos chama de amigos, ele quer dizer que está compromissado conosco na construção do ideal do Reino de Deus e quer que todos nós também sejamos seus amigos, comprometidos com ele na construção da civilização do amor.
SANTO DO DIA
Santa Catarina de Sena, servia a Cristo e sua Igreja
Dotada de dons místicos, recebeu espiritualmente e realmente as chagas do Cristo
Neste dia, celebramos a vida de uma das mulheres que marcaram profundamente a história da Igreja: Santa Catarina de Sena. Reconhecida como Doutora da Igreja, era de uma enorme e pobre família de Sena, na Itália, onde nasceu em 1347.
Voltada à oração, ao silêncio e à penitência, não se consagrou em uma congregação, mas continuou, no seu cotidiano dos serviços domésticos, a servir a Cristo e Sua Igreja, já que tudo o que fazia, oferecia pela salvação das almas. Através de cartas às autoridades, embora analfabeta e de frágil constituição física, conseguia mover homens para a reconciliação e paz como um gigante.
Dotada de dons místicos, recebeu espiritualmente e realmente as chagas do Cristo; além de manter uma profunda comunhão com Deus Pai, por meio da qual teve origem sua obra: “O Diálogo”. Comungando também com a situação dos seus, ajudou-o em muito, socorrendo o povo italiano, que sofria com uma peste mortífera e com igual amor socorreu a Igreja que, com dois Papas, sofria cisão, até que Catarina, santamente, movimentou os céus e a terra, conseguindo banir toda confusão. Morreu no ano de 1380, repetindo: “Se morrer, sabeis que morro de paixão pela Igreja”.
Santa Catarina de Sena, rogai por nós!