sábado, 23 de abril de 2016

Evangelho do Dia/Santo do Dia

23 de abril de 2016 – CNBB
1ª Leitura - At 13,44-52
Vamos dirigir-nos aos pagãos.
Leitura dos Atos dos Apóstolos 13,44-52
44No sábado seguinte, quase toda a cidade se reuniu para ouvir a palavra de Deus.
45Ao verem aquela multidão, os judeus ficaram cheios de inveja e, com blasfêmias, opunham-se ao que Paulo dizia.
46Então, com muita coragem, Paulo e Barnabé declararam: 'Era preciso anunciar a palavra de Deus primeiro a vós. Mas, como a rejeitais e vos considerais indignos da vida eterna, sabei que nos vamos dirigir aos pagãos.
47Porque esta é a ordem que o Senhor nos deu: 'Eu te coloquei como luz para as nações, para que leves a salvação até os confins da terra'.'
48Os pagãos ficaram muito contentes, quando ouviram isso, e glorificavam a palavra do Senhor. Todos os que eram destinados à vida eterna, abraçaram a fé.
49Desse modo, a palavra do Senhor espalhava-se por toda a região.
50Mas os judeus instigaram as mulheres ricas e religiosas, assim como os homens influentes da cidade, provocaram uma perseguição contra Paulo e Barnabé e expulsaram-nos do seu território.
51Então os apóstolos sacudiram contra eles a poeira dos pés, e foram para a cidade de Icônio.
52Os discípulos, porém, ficaram cheios de alegria e do Espírito Santo.
Palavra do Senhor.
Salmo - Sl 97, 1. 2-3ab. 3cd-4 (R.3cd)
R. Os confins do universo contemplaram a salvação do nosso Deus.
Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia
1Cantai ao Senhor Deus um canto novo,*porque ele fez prodígios!
Sua mão e o seu braço forte e santo* alcançaram-lhe a vitória.R.
2O Senhor fez conhecer a salvação,*e às nações, sua justiça;
3arecordou o seu amor sempre fiel*
3bpela casa de Israel.R.
3cOs confins do universo contemplaram*
3da salvação do nosso Deus.
4Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira,* alegrai-vos e exultai!R.
Evangelho - Jo 14,7-14
Quem me viu, viu o Pai.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 14,7-14
Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:
7Se vós me conhecêsseis, conheceríeis também o meu Pai. E desde agora o conheceis e o vistes.'
8Disse Filipe: 'Senhor, mostra-nos o Pai, isso nos basta!'
9Jesus respondeu: 'Ha tanto tempo estou convosco, e não me conheces, Filipe? Quem me viu, viu o Pai. Como é que tu dizes: 'Mostra-nos o Pai'?
10Não acreditas que eu estou no Pai  e o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo por mim mesmo, mas é o Pai que, permanecendo em mim, realiza as suas obras.
11Acreditai-me: eu estou no Pai e o Pai está em mim. Acreditai, ao menos, por causa destas mesmas obras.
12Em verdade, em verdade vos digo, quem acredita em mim fará as obras que eu faço,
e fará ainda maiores do que estas. Pois eu vou para o Pai,
13e o que pedirdes em meu nome, eu o realizarei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho.
14Se pedirdes algo em meu nome, eu o realizarei.
Palavra da Salvação.
Reflexão - Jo 14, 7-14
Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém pode chegar ao Pai sem Jesus, pois ele é verdadeiramente o único caminho que nos leva ao Pai. Ninguém pode de fato conhecer o Pai se não for através de Jesus, pois ele é a Verdade que nos revela o Pai, ele é o próprio Ícone do Pai, ele vive em perfeita comunhão com o Pai, quem conhece Jesus, conhece o Pai e quem conhece o Pai, conhece Jesus. Nós também participamos dessa comunhão na medida em que nos tornamos ícones de Cristo e, participar dessa comunhão é que nos garante a vida em plenitude, a vida eterna, que é a participação na vida divina.
SANTO DO DIA
São Jorge, viveu o bom combate da fé
Jorge foi um homem que, em nome de Jesus Cristo, pelo poder da Cruz, viveu o bom combate da fé
Conhecido como ‘o grande mártir’, foi martirizado no ano 303. A seu respeito contou-se muitas histórias. Fundamentos históricos temos poucos, mas o suficiente para podermos perceber que ele existiu, e que vale à pena pedir sua intercessão e imitá-lo.
Pertenceu a um grupo de militares do imperador romano Diocleciano, que perseguia os cristãos. Jorge então renunciou a tudo para viver apenas sob o comando de nosso Senhor, e viver o Santo Evangelho.
São Jorge não queria estar a serviço de um império perseguidor e opressor dos cristãos, que era contra o amor e a verdade. Foi perseguido, preso e ameaçado. Tudo isso com o objetivo de fazê-lo renunciar ao seu amor por Jesus Cristo. São Jorge, por fim, renunciou à própria vida e acabou sendo martirizado.
Uma história nos ajuda a compreender a sua imagem, onde normalmente o vemos sobre um cavalo branco, com uma lança, vencendo um dragão:
“Num lugar existia um dragão que oprimia um povo. Ora eram dados animais a esse dragão, e ora jovens. E a filha do rei foi sorteada. Nessa hora apareceu Jorge, cristão, que se compadeceu e foi enfrentar aquele dragão. Fez o sinal da cruz e ao combater o dragão, venceu-o com uma lança. Recebeu muitos bens como recompensa, o qual distribuiu aos pobres.”
Verdade ou não, o mais importante é o que esta história comunica: Jorge foi um homem que, em nome de Jesus Cristo, pelo poder da Cruz, viveu o bom combate da fé. Se compadeceu do povo porque foi um verdadeiro cristão. Isto é o essencial.
Ele viveu sob o senhorio de Cristo e testemunhou o amor a Deus e ao próximo. Que Ele interceda para que sejamos verdadeiros guerreiros do amor.
São Jorge, rogai por nós!