Pular para o conteúdo principal

Impostômetro do RN

Sociedade apoiou os erros de Dilma, diz Delfim Netto

Portal Terra - Para o ex-ministro Delfim Netto, a presidente Dilma Rousseff não é a única culpada pelos erros que ameaçam encerrar seu mandato mais cedo. Delfim não se refere, porém, à equipe de governo, mas sim à maioria dos brasileiros, que apoiou as maiores barbeiragens de Dilma, a ponto de lhe conferir uma alta popularidade na época. “A sociedade apoiou a Dilma nos seus equívocos”, afirmou o economista, em entrevista publicada pelo jornal Folha de S.Paulo neste domingo (27).
“Quando o Executivo é controlado pela pesquisa de opinião, pode ser levado à tragédia”, disse, acrescentando o que considera dois grandes exemplos. O primeiro foi a intervenção de Dilma no setor elétrico em 2012. A presidente endossou um novo marco regulatório para o setor que, entre outras medidas, procurou regulamentar a taxa de retorno dos projetos e baixar as tarifas na marra. Delfim lembra que, por mais desastrada fosse, a decisão lhe rendeu um aumento de seis pontos na popularidade.
Em julho daquele ano, 56,6% dos brasileiros avaliavam positivamente o governo Dilma, entre ótimo e bom, contra apenas 7% que o consideravam ruim ou péssimo, segundo uma pesquisa de opinião da CNT (Confederação Nacional do Transporte). O resultado marcava uma evolução sobre os 49,2% de agosto do ano anterior.
Delfim afirma que o segundo grande erro de Dilma, endossado pela maioria da população, foi reduzir a taxa de juros, sem a contrapartida de adotar ajustes fiscais. “Ela (a presidente) atingiu o máximo de sua aprovação, quando estava no máximo do erro”, disse o economista. “Visivelmente, você estava construindo uma tragédia com o apoio da sociedade”, completou.
O ex-ministro evita cravar um resultado para o processo de impeachment, mas observa que a situação da presidente é “muito difícil” e a que a sociedade simplesmente não acredita mais que ela tenha condições de governar.
Aos 87 anos e com a experiência de ter dirigido o ministério da Fazenda (1967-1974), da Agricultura (1979) e do Planejamento (1979-1985), além de uma longa carreira como deputado federal (1987-2007), Delfim faz uma ressalva: como o impedimento de Dilma depende do Congresso, tudo pode acontecer. “É tão volátil, o Congresso”, diz. “A Câmara é de uma volatilidade enorme; ela varia de 50 votos para 350 com uma notícia”.

Postagens mais visitadas deste blog

ÁUDIO: Capitão Styverson detona a Polícia Civil diz que agentes e delegados são preguiçosos.

O temido capitão da Lei Seca, Styverson Valetim, que faz um excelente trabalho nas blitzes de trânsito, criticou com veemência os integrantes da Polícia Civil em um áudio que circula pelos grupos de WhatsApp. “Meu trabalho funciona, pois só depende de mim. Não sou vinculado à Polícia Militar”, disse Styverson no áudio, fazendo críticas até a corporação que faz parte. Depois detonou a Polícia Civil: “O Policial Civil ganha muito bem e um delegado ganha R$ 23 mil para não fazer nada”. “Já denunciei as delegacias que não querem trabalhar por preguiça”, diz ainda o Capitão Styverson. (HeitorGregório).

Violência no Rio Grande do Norte - 29.05.2016

Casal aborda e da garupa da motocicleta mulher mata jovem no Igapó 190rn - Um homicídio foi registrado neste sábado no bairro de Igapó, vitimando um jovem identificado como Eduardo, conhecido como “Dudu”, que foi vítima de pelo menos quatro disparos de arma de fogo. Segundo informações de populares, a vítima estava em frente a uma residência quando um casal chegou no local em uma motocicleta e a mulher, que estava na garupa, atirou contra ele.
Após ter sido ferido, ele ainda foi socorrido ao Hospital Santa Catarina, mas não resistiu aos ferimentos, morrendo na unidade hospitalar. Mototaxista é executado dentro de casa em São Paulo do Potengi 190rn - Um homicídio foi registrado na madrugada deste domingo, na cidade de São Paulo do Potengi vitimando um mototaxista identificado como Paulo Sérgio, mais conhecido na cidade como “Rosinha”. A vítima foi alvejada por disparos de arma de fogo, quando estava na sua residência e ainda foi socorrido mais não resistiu aos ferimentos, morrendo antes da c…

Mega Fazenda de Lula na Argentina

Segundo o guia dos pescadores a Mega Fazenda pertence ao ex-presidente da República Luiz Inácio LULA da Silva e seu filho Lulinha. Assistam o vídeo e vejam onde o dinheiro do Brasil, do povo brasileiro está indo parar. (jonasmelloradialista)