segunda-feira, 7 de março de 2016

Mineiro defende Crispiniano e afirma que PT não estimula militância à violência

Portal no AR - O deputado estadual Fernando Mineiro (PT) comentou nesta segunda-feira a polêmica envolvendo o diretor da Fundação José Augusto, Crispiniano Neto, e afirmou que não é orientação do partido adotar medidas de violência em reação ao que a legenda considera a criminalização do partido através da Operação Lava Jato.
Nesse domingo, em seu perfil no Twitter, Crispiniano Neto postou que “não se pode esperar um tiro no peito ou uma foto do líder ‘suicidado’ na cadeia para começar a virar e queimar carros da imprensa golpista”. A mensagem viralizou nas redes sociais. O deputado Fernando Mineiro, no entanto, comenta que se trata de um desabafo.
“Não há, no Partido dos Trabalhadores, nenhuma orientação para reagir com violência. Foi muito mais um desabafo de alguém cansado com essa situação. Não se trata, repito, de uma orientação do partido a seus militantes”, sublinhou o deputado petista.
Desde que postou a mensagem, Crispiniano tem sido procurado para comentar o assunto. Até o momento, ele não foi localizado. Para Mineiro, há uma flagrante distorção cínica na cobertura dos eventos.
“Todos os dias, nós recebemos ameaças. Ameaças diretas. Isso vira notícia? Isso não vira notícia. Mas basta algum de nós postar um desabafo e imediatamente isso acontece. É um cinismo muito grande”, comentou o deputado em visível tom de cansaço com a situação.
Mineiro defendeu ainda que Crispiniano mais uma vítima das circunstâncias apontadas por ele. “Ele fez uma relação com o caso de Getúlio Vargas. Um desabafo ganhou essa proporção porque se trata de alguém do PT. Só por isso”, indignou-se o parlamentar.