segunda-feira, 7 de março de 2016

Manifestantes ligados ao PT protestam contra a Rede Globo e filha de LULA estira o dedo para equipe do Estadão

Cerca de 150 pessoas realizaram neste domingo (6) um protesto em frente à sede da Rede Globo, no Jardim Botânico, zona sul do Rio.
Os participantes criticaram a cobertura jornalística da emissora e defenderam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
O ato teve a presença de militantes do PT e do presidente estadual do partido, Washington Quaquá. Também havia bandeiras do PC do B e de centrais sindicais.
O presidente do PT fluminense acusou a Globo de perseguir Lula e criticou a condução coercitiva do ex-presidente para prestar depoimento na última sexta-feira (4).
“Acho que a Globo e setores do Judiciário cometeram um erro político ao fazerem o sequestro do Lula. Eles mexeram com o maior patrimônio brasileiro”, disse Quaquá.
O dirigente afirmou que o partido fará novos atos em defesa de reformas no Judiciário e da regulação dos meios de comunicação.
Ele também criticou o juiz Sergio Moro, responsável pelos processos da operação Lava Jato em Curitiba.
Militantes hostilizaram funcionários da Globo e chegaram a jogar ovos e pedras na sede da emissora. Os coordenadores do ato pediram que eles parassem.
De acordo com a Polícia Militar, que acompanhou o protesto, não houve registro de violência e ninguém foi detido.
O estudante de sociologia Fernando Ricardo, 23, prometeu novos protestos no próximo domingo (13), quando haverá atos em todo o país contra o governo Dilma Rousseff.
“Amanhã teremos uma reunião no partido para definir novas ações. Vamos para a rua inclusive no dia 13, em Copacabana. Quero ver quem vai nos impedir. Não vai ter golpe”, disse.
A assessoria da Rede Globo foi procurada por volta das 12h, mas ainda não se manifestou.
Na sexta (4), repórteres da emissora foram hostilizados ao cobrir protestos após o depoimento do ex-presidente Lula em São Paulo. Blog do BG