segunda-feira, 21 de março de 2016

Henrique destaca a importância do artesanato para o turismo

O Brasil tem cerca de 10 milhões de artesãos. Gente criativa que vive de bordar, costurar e esculpir, entre outras atividades manuais, e que comercializa seus produtos em diferentes espaços como feiras, mercados ou centros de artesanato. É a arte e a cultura de um povo refletida em diversos produtos, uma arte passada de geração em geração. Comemorado no sábado (19), o Dia Mundial do Artesão deste ano teve um sabor especial. Pela primeira vez a data foi celebrada após a regulamentação da profissão, em 22 de outubro de 2015.
A lei 13.180 que estabelece diretrizes para as políticas públicas de fomento à profissão contou com forte apoio do ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves. “A regulamentação da atividade do artesão foi uma grande conquista para um setor com tanto potencial para desenvolver a economia e preservar o patrimônio do país”, avalia o ministro.
Com a venda de suas peças para os turistas, os artesãos movimentam a economia local, geram emprego e renda não só para a família do artista como também para toda a sua comunidade. Apesar da importância econômica, o artesão só passou a ter direito a carteira nacional do artesão, linhas de crédito e qualificação com a sanção da lei.