sábado, 5 de março de 2016

Evangelho do Dia/Santo do Dia

5 de março de 2016 – CNBB
1ª Leitura - Os 6,1-6
Quero amor e não sacrifícios.
Leitura da Profecia de Oséias 6,1-6
1'Vinde, voltemos para o Senhor, ele nos feriu e há de tratar-nos, ele nos machucou e há de curar-nos.
2Em dois dias, nos dará vida, e, ao terceiro dia, há de restaurar-nos, e viveremos em sua presença.
3É preciso saber segui-lo para reconhecer o Senhor. Certa como a aurora é a sua vinda, ele virá até nós como as primeiras chuvas, como as chuvas tardias que regam o solo'.
4Como vou tratar-te, Efraim? Como vou tratar-te, Judá? O vosso amor é como nuvem pela manhã, como orvalho que cedo se desfaz.
5Eu os desbastei por meio dos profetas, arrasei-os com as palavras de minha boca, mas, como luz, expandem-se meus juízos;
6quero amor, e não sacrifícios, conhecimento de Deus, mais do que holocaustos'.
Palavra do Senhor.

Salmo - Sl 50, 3-4. 18-19. 20-21ab (R. Cf.Os 6,6)
R. Eu quis misericórdia e não o sacrifício!
3Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! * Na imensidóo de vosso amor, purificai-me!
4Lavai-me todo inteiro do pecado, * e apagai completamente a minha culpa!R.
18Pois não são de vosso agrado os sacrifícios, * e, se oferto um holocausto, o rejeitais.
19Meu sacrifício é minha alma penitente, * não desprezeis um coração arrependido!R.
20Sede benigno com Sião, por vossa graça, * reconstruí Jerusalém e os seus muros!
21aE aceitareis o verdadeiro sacrifício, *
21bos holocaustos e oblações em vosso altar!R.
Evangelho - Lc 18,9-14
O cobrador de impostos voltou para
casa justificado, o outro não.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 18,9-14
Naquele tempo:
9Jesus contou esta parábola para alguns que confiavam na sua própria justiça
e desprezavam os outros:
10'Dois homens subiram ao Templo para rezar: um era fariseu, o outro cobrador de impostos.
11O fariseu, de pé, rezava assim em seu íntimo: 'Ó Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros homens, ladrões, desonestos, adúlteros, nem como este cobrador de impostos.
12Eu jejuo duas vezes por semana, e dou o dízimo de toda a minha renda'.
13O cobrador de impostos, porém, ficou à distância, e nem se atrevia a levantar os olhos para o céu; mas batia no peito, dizendo: `Meu Deus, tem piedade de mim que sou pecador!'
14Eu vos digo: este último voltou para casa justificado, o outro não. Pois quem se eleva será humilhado, e quem se humilha será elevado.'
Palavra da Salvação.
Reflexão - Lc 18, 9-14
Jesus nos mostra no Evangelho de hoje que a salvação não pode ser alcançada por nossas ações, uma vez que a pessoa não pode salvar-se por si mesma, mas por uma ação amorosa e gratuita do próprio Deus. Nós não nos salvamos, aos homens isso é impossível, mas Deus nos salva, pois para ele tudo é possível. Sendo assim, a nossa salvação depende antes de tudo da postura que temos diante de Deus. O fariseu contava os seus méritos diante de Deus, o que não lhe garantiu a salvação, enquanto que, ao demonstrar as suas misérias e os seus pecados diante de Deus, o cobrador de impostos reconhecia que somente Deus poderia salvá-lo e implora por essa salvação e, por isso, ele foi atendido em suas preces.
SANTO DO DIA
São João José da Cruz - Religioso de vida eremítica
A profunda fé na Divina Misericórdia fez com que este santo fizesse muito por sua ordem religiosa
O santo de hoje nasceu no século XVII, e muito cedo descobriu seu chamado a uma consagração total. Pensou na vida sacerdotal, mas percebeu que muitos buscavam o sacerdócio somente para obter honras e dignidades.
João José discerniu melhor, e descobriu que Deus o queria um religioso. Assim, partiu para a vida eremítica, segundo a Ordem de São Pedro de Alcântara. Ele viveu uma vida de oração profunda, se alimentando e dormindo somente o necessário. Recebendo a confiança de seus superiores, foi enviado para Piemonte, em Ávila, para começar um novo mosteiro. E de maneira braçal, iniciou a construção.
Com sua perseverança, a Providência Divina e a ajuda do povo, construiu o mosteiro. Recebeu de Deus o dom dos milagres, e muitos o buscavam. João José da Cruz sempre apresentava o Senhor Jesus e levava o povo à oração.
São João José da Cruz, rogai por nós!