segunda-feira, 21 de março de 2016

Evangelho do Dia/Santo do Dia

21 de março de 2016 – CNBB
1ª Leitura - Is 42,1-7
Ele não clama nem levanta a voz,
nem se faz ouvir pelas ruas.
(1º canto do Servo do Senhor).
Leitura do Livro do Profeta Isaías 42,1-7
1'Eis o meu servo - eu o recebo; eis o meu eleito - nele se compraz minh'alma;
pus meu espírito sobre ele, ele promoverá o julgamento das nações.
2Ele não clama nem levanta a voz, nem se faz ouvir pelas ruas.
3Não quebra uma cana rachada nem apaga um pavio que ainda fumega; mas promoverá o julgamento para obter a verdade.
4Não esmorecerá nem se deixará abater, enquanto não estabelecer a justiça na terra; os países distantes esperam seus ensinamentos.'
5Isto diz o Senhor Deus, que criou o céu e o estendeu, firmou a terra e tudo que dela germina, que dá a respiração aos seus habitantes e o sopro da vida ao que nela se move:
6'Eu, o Senhor, te chamei para a justiça e te tomei pela mão; eu te formei e te constituí como o centro de aliança do povo, luz das nações,
7para abrires os olhos dos cegos, tirar os cativos da prisão, livrar do cárcere os que vivem nas trevas.
Palavra do Senhor.
Salmo - Sl 26, 1. 2. 3. 13-14 (R. 1a)
R. O Senhor é minha luz e salvação.
1O Senhor é minha luz e salvação; *de quem eu terei medo?O Senhor é a proteção da minha vida; * perante quem eu tremerei?R.
2Quando avançam os malvados contra mim, * querendo devorar-me, são eles, inimigos e opressores, * que tropeçam e sucumbem.R.
3Se contra mim um exército se armar, * não temerá meu coração; se contra mim uma batalha estourar, * mesmo assim confiarei.R.
13Sei que a bondade do Senhor eu hei de ver * na terra dos viventes.
14Espera no Senhor e tem coragem, * R.
Evangelho - Jo 12,1-11
Deixa-a; ela fez isto
em vista do dia de minha sepultura.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 12,1-11
1Seis dias antes da Páscoa, Jesus foi para Betânia, onde morava Lázaro, que ele havia ressuscitado dos mortos.
2Ali ofereceram a Jesus um jantar; Marta servia e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele.
3Maria, tomando quase meio litro de perfume de nardo puro e muito caro, ungiu os pés de Jesus e enxugou-os com seus cabelos. A casa inteira ficou cheia do perfume do bálsamo.
4Então, falou Judas Iscariotes,  um dos seus discípulos, aquele que o havia de entregar:
5'Por que não se vendeu este perfume  por trezentas moedas de prata, para as dar aos pobres?'
6Judas falou assim, não porque se preocupasse com os pobres, mas porque era ladrão;
ele tomava conta da bolsa comum e roubava o que se depositava nela.
7Jesus, porém, disse: 'Deixa-a; ela fez isto em vista do dia de minha sepultura.
8Pobres, sempre os tereis convosco, enquanto a mim, nem sempre me tereis.'
9Muitos judeus, tendo sabido que Jesus estava em Betânia, foram para lá, não só por causa de Jesus, mas também para verem Lázaro, que Jesus havia ressuscitado dos mortos.
10Então, os sumos sacerdotes decidiram matar também Lázaro,
11porque, por causa dele, muitos deixavam os judeus e acreditavam em Jesus.
Palavra do Senhor.
Reflexão - Jo 12, 1-11
A vida e as atitudes de Jesus sempre causaram reações contraditórias de aceitação ou rejeição. A morte de Jesus também não foi diferente. Para os principais dentre os judeus, a morte de Jesus significou a realização dos seus planos e uma vitória conquistada no sentido da manutenção da ordem estabelecida. Para o poder romano, não significou nada, pois ele foi mais um entre os muitos que são condenados à morte. Mas quem o amava, houve um momento de carinho e atenção à sua pessoa antes que a morte chegasse trazendo o sofrimento, a dor e a separação.
SANTO DO DIA
São Nicolau de Flue, eremita
Entregou-se totalmente à vida de oração, penitência e jejuns, sem deixar de participar nas Santas Missas de domingo e dias santos
Comemoramos a vida santa de um eremita, São Nicolau de Flue, que nasceu na Suíça em 1417 e passou sua juventude ajudando o pai em trabalhos práticos, sempre inclinado à vida religiosa.
A pedido do pai, casou-se com Doroteia que muito o levou para Deus, tanto que juntos educaram os dez filhos para a busca da santidade. Aconteceu que, em comum acordo e, com os filhos já educados, Nicolau retirou-se na solidão, perto de sua casa, porém, com o propósito de se dedicar exclusivamente a Deus, ele que era um homem popular devido a diversos cargos públicos e administrativos que ocupara na sociedade.
São Nicolau entregou-se totalmente à vida de oração, penitência e jejuns, sem deixar de participar nas Santas Missas de domingo e dias santos, além de ter assumido uma tábua como cama; por travesseiro uma pedra e de primeiro frutas e ervas como alimento, isto até chegar a se alimentar somente da Eucaristia. Todo este processo estendeu-se progressivamente por 33 anos.
Nicolau, que morreu com setenta anos, ao ir para o eremitério com 37 anos, em nada se alienou ao mundo. Pôde ele servir com conselhos e interferir pacificamente nas dificuldades entre católicos e protestantes, a ponto de ser amado e tomado como modelo de pacificador e pai da pátria.
São Nicolau de Flue, rogai por nós!