quinta-feira, 17 de março de 2016

Déficit de professores na rede pública do RN pode chegar a mil até o fim de 2016

Portal no AR - A rede pública de ensino do Rio Grande do Norte pode fechar o ano de 2016 com um déficit de mil professores. A estimativa é do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do RN (Sinte/RN) que aponta a falta de mais de 600 profissionais na atualidade.
Este é apenas um dos muitos problemas enfrentados pela educação do estado, que sofre ainda com a falta de estrutura das escolas e com o baixo investimento em melhorias. De acordo com Fátima Cardoso, presidente do Sinte/RN, o estado possui um total de 665 escolas e em quase todas elas faltam professores, de diferentes disciplinas.
Cardoso avalia que os investimentos em educação tem sido insuficientes no estado e a falta de professores é um sinal disso. “Uma escola não funciona sem um professor. Ele é peça fundamental do processo de aprendizagem”, comentou.
Além da falta de professores, a falta de estrutura das escolas também é uma das consequências da falta de investimentos apontada pela presidente do Sinte/RN. Segundo ela, a qualidade dos prédios em que estão localizadas a maioria das escolas é precária e não oferece estrutura necessária para a realização das atividades pertinentes ao processo de ensino-aprendizagem.
“Os alunos são obrigados a assistir aula em salas não climatizadas, com carteiras em péssimas condições. Todas precisam de manutenção e novos equipamentos”, avaliou.
Informatização
Para Fátima Cardoso, a educação no RN está ultrapassada, já que a maioria das instituições não possui computadores. “Quando tem, são subutilizados em ações meramente burocráticas e não no processo de aprendizagem dos alunos como forma de expandir o conhecimento”, analisou.
A reportagem do portalnoar.com procurou a Secretaria Estadual de Educação para se posicionar sobre o assunto, mas até a publicação desta reportagem, não conseguiu contato com as fontes ligadas à Secretaria Estadual de Educação.