Pular para o conteúdo principal

Impostômetro do RN

Assassinatos no RN têm o maior crescimento do país; Macaíba lidera

Portal no AR - O Rio Grande do Norte é o Estado do Brasil onde o número de homicídios mais cresceu percentualmente em 10 anos, revelou nesta terça-feira (22), o ‘Atlas da Violência’, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Em dez anos, de 2004 a 2014, a taxa de homicídios potiguar teve crescimento de 308,1%.
A evolução da taxa de homicídios é assustadora. Para cada grupo de 100 mil habitantes, o RN tinha uma taxa de 11,3%. O número começou a variar para cima desde então, passando a 13,3% (2005), 14,5% (2005), 31,6% (2011) e 46,2% (2014).
Em números absolutos, o RN saltou dos 342 homicídios registrados em 2004 para 1.576 em 2014. As estatísticas projetaram o Estado para o 13º com mais assassinatos, superando estados como Santa Catarina, Distrito Federal e Amazonas.
Ainda de acordo com o estudo a região mais violenta do Rio Grande do Norte é a de Macaíba, seguida por perto de Mossoró. Sobre esse critério, o estudo divulgou uma tabela com a taxa de homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes. O número, entretanto, não se refere ao período de 10 anos, mas apenas ao ano 2014, o último de levantamento.
Ao todo, o estudo mapeou no Estado 19 regiões/cidades e, na relação abaixo, aponta a população abrangida e a taxa de homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes:
Confira as regiões e cidades mapeadas:
Chapada do Apodi    76.856    27,9%
Baixa Verde    66.742    25,9%
Borborema Potiguar    141.752    20,9%
Macau    57.338    21,8%
Serra de Santana    63.859    9,8
Agreste Potiguar 245.725 20,6%
Litoral Sul    87.040    29,5%
Angicos    53.139    15,5%
Serra de São Miguel    66.280    14,5
Seridó Oriental    124.256    23,3%
Macaíba    314.915    72,4%
Mossoró    363.615    71,5%
Natal    1.125.134    62,1%
Umarizal    67.467    51,5%
Vale do Açu    150.642    36,8%
Seridó Ocidental    103.723    34,5%
Pau dos Ferros    118.721    19%
Médio Oeste    39.759    33%
Litoral Nordeste    89.882    20%

Postagens mais visitadas deste blog

ÁUDIO: Capitão Styverson detona a Polícia Civil diz que agentes e delegados são preguiçosos.

O temido capitão da Lei Seca, Styverson Valetim, que faz um excelente trabalho nas blitzes de trânsito, criticou com veemência os integrantes da Polícia Civil em um áudio que circula pelos grupos de WhatsApp. “Meu trabalho funciona, pois só depende de mim. Não sou vinculado à Polícia Militar”, disse Styverson no áudio, fazendo críticas até a corporação que faz parte. Depois detonou a Polícia Civil: “O Policial Civil ganha muito bem e um delegado ganha R$ 23 mil para não fazer nada”. “Já denunciei as delegacias que não querem trabalhar por preguiça”, diz ainda o Capitão Styverson. (HeitorGregório).

Violência no Rio Grande do Norte - 29.05.2016

Casal aborda e da garupa da motocicleta mulher mata jovem no Igapó 190rn - Um homicídio foi registrado neste sábado no bairro de Igapó, vitimando um jovem identificado como Eduardo, conhecido como “Dudu”, que foi vítima de pelo menos quatro disparos de arma de fogo. Segundo informações de populares, a vítima estava em frente a uma residência quando um casal chegou no local em uma motocicleta e a mulher, que estava na garupa, atirou contra ele.
Após ter sido ferido, ele ainda foi socorrido ao Hospital Santa Catarina, mas não resistiu aos ferimentos, morrendo na unidade hospitalar. Mototaxista é executado dentro de casa em São Paulo do Potengi 190rn - Um homicídio foi registrado na madrugada deste domingo, na cidade de São Paulo do Potengi vitimando um mototaxista identificado como Paulo Sérgio, mais conhecido na cidade como “Rosinha”. A vítima foi alvejada por disparos de arma de fogo, quando estava na sua residência e ainda foi socorrido mais não resistiu aos ferimentos, morrendo antes da c…

Mega Fazenda de Lula na Argentina

Segundo o guia dos pescadores a Mega Fazenda pertence ao ex-presidente da República Luiz Inácio LULA da Silva e seu filho Lulinha. Assistam o vídeo e vejam onde o dinheiro do Brasil, do povo brasileiro está indo parar. (jonasmelloradialista)