quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Manifestantes protestam na Câmara de Santo Antônio contra tentativa da oposição de barrar contratos

Os Amigos da Onça - Em uma noite histórica, manifestantes lotaram nesta quarta-feira (03) as dependências da Câmara Municipal de Santo Antônio e a frente da sede do Poder Legislativo.  O tumulto foi intenso, gritos e palavras de ordem exigiam dos vereadores da oposição a aprovação do projeto de lei nº 02/2016, de iniciativa do Poder Executivo, que visa a contratação temporária de servidores para atender as necessidades de excepcional interesse público, previsto na Constituição Federal, no artigo 37, inciso IX. O projeto estava previsto para ser apreciado e votado na sessão ordinária desta quarta-feira, no entanto a Presidente da Casa, a vereadora Priscila Lariss (PRB), ontem enviou resposta ao executivo alegando inconstitucionalidade no projeto, o que provocou uma revolta dos funcionários contratados que convocaram esse movimento para protestar contra essa medida dos vereadores da oposição. Além disso, os oposicionistas defendem a realização de concurso público para preenchimento das vagas no quadro funcional do município, uma vez que existe uma recomendação do Ministério Público.
A sessão que ocorre todas as quartas-feiras, às 19h, atrasou cerca de uma hora, quando a presidente da Casa comunicou que a reunião estava cancelada. Priscila justificou que o projeto foi devolvido para o executivo por conta de falhas identificadas no mesmo. Após ser encerrada a sessão, manifestantes jogaram milho no plenário revoltados com a atitude da presidência da Casa e dos demais vereadores da oposição.
Cerca de 700 pessoas de todas as idades, segundo a Polícia Militar, entre servidores contratados e populares ocuparam a frente da Câmara para pressionar os vereadores de oposição a aprovarem o projeto. “Muito me admira vereadores oposicionistas, que sempre fizeram parte do governo anterior com vários cargos, cargos fantasmas e influência direta na gestão passada, agora querem impedir o prefeito de contratar e prejudicar a população porque é ano eleitoral, eles só pensam no benefício próprio”, afirmou um dos manifestantes.
Outros cobraram responsabilidade da Câmara, tecendo duras críticas. “Estamos apenas tentando defender o direito de exercer nossas profissões e poder receber dignamente pelo trabalho que é prestado!, declarou um outro manifestante.
O protesto ocorreu de forma pacífica e tranquila durante todo o tempo. A Polícia Militar de Santo Antônio com o reforço de seis viaturas de outras cidades da região garantiram a ordem do movimento.
Enquanto os vereadores da oposição ficaram dentro da Câmara esperando os manifestantes irem embora, os protestantes aguardavam no lado de fora a saída dos parlamentares e gritavam a todo momento palavras de ordem tendo como alvo principal a vereadora Goreth Orrico (PT) por se recusar a votar o projeto que trata dos contratos temporários. Com mais de duas horas depois, a vereadora teve de sair escoltada pela polícia sob gritos de “bandida” proferidas por alguns manifestantes. Ela saiu com a proteção do escudo da polícia e teve de entrar em uma viatura policial.
Pouco tempo depois, outro que saiu hostilizado foi o vereador Audy Acciole (PP). Ele também deixou a Câmara sob inúmeras vaias e saiu em seu próprio carro, que teve os pneus furados e chutados pelos manifestantes.
Depois desse reboliço, a oposição irá recuar e aprovar o projeto ou o impasse vai continuar e esse imbróglio só será decidido na justiça?. A certeza mesmo é que esta noite ficou na história do município e esse muído todo promete render novos capítulos nos próximos dias. Vamos aguardar os desdobramentos.