sábado, 6 de fevereiro de 2016

Hospital Regional de Santo Antônio passa primeiro dia de folia sem médicos

Os amigos da Onça - O carnaval começou oficialmente nesta sexta-feira (06) em Santo Antônio e justamente nessa época em que geralmente é grande o movimento de entrada e saída de pacientes no Hospital Regional Lindolfo Gomes Vidal, a população deve ficar em estado de alerta, pois como acontece rotineiramente, a unidade hospitalar passou o primeiro dia de folia sem ter nenhum médico plantonista. Não é matéria repetida, é o que acontece cotidianamente no hospital.
Quem foi ao hospital em busca de atendimento médico se deparou com o aviso na porta da unidade dizendo: “Estamos sem médicos”, o que não é nenhuma novidade desde que a atual direção assumiu a unidade.
Esse quadro triste pelo qual passa o hospital estampou o noticiário deste Blog por inúmeras vezes. E essa situação parece não ter fim. Casos ainda mais graves foram registrados, como uma grávida dar à luz na porta do hospital porque não havia médico de plantão e pacientes terem de levar materiais básicos, uma vez que na unidade hospitalar não tinha. O hospital passa pela pior crise de sua história, um verdadeiro caos e abandono por parte do Governo do Estado.
A população grita por socorro e não sabe a quem mais recorrer porque o Governo do Estado não toma nenhuma providência e a direção parece está no mundo da lua, não sei se por incompetência ou incapacidade da equipe gestora da unidade. O fato é que a população convive com essa situação da falta de médicos dia a dia.
Uma audiência realizada recentemente para debater essa situação do hospital foi um verdadeiro fracasso com a participação de meia dúzia de gatos pingados e nenhuma providência tomada. O que se viu foi a diretora geral, Luciana Barbosa, colocar um cenário totalmente fora da realidade e alguns secretários de saúde de cidades vizinhas defenderem a direção e fazerem altos elogios, quando na verdade o cidadão que necessita dos serviços do hospital está a mercê da sorte sem saber qual dia tem médico no hospital, Ou seja, solução que é bom, nada. Agora ninguém assumiu a culpa por essa situação.