domingo, 21 de fevereiro de 2016

Estão fazendo canalhice com FHC, diz ex-senador Geraldo Melo

“Sobre toda essa história de amante de FHC, o que interessa ao Brasil é responder a uma única pergunta: era dinheiro público que ele mandava para essa moça? Não era.
Então o que se está fazendo é chafurdar na vida privada de FHC. Isso se chama molecagem, cafajestagem, canalhice.
Se há alguma coisa a comentar é o papel repugnante dessa moça, que, de repente, resolve quebrar o silencio e fazer escândalo. Foi o jeito que encontrou de ajudar os que estão hoje no poder. Terá sido gratuito o seu “gesto”?
Engraçado: vocês se lembram das histórias de Rosemary Noronha, chefe do escritório da Presidência da República em São Paulo? (Para que serve mesmo esse escritório, ninguém sabe)
Apesar das relações — digamos — “especiais” que Dona Rosemary mantinha com o Presidente Lula, a oposição brasileira não usou como arma política aquele escândalo e as histórias cabeludas em que ela estava metida, apesar das versões envolvendo dinheiro público, desembarque com carro forte em Portugal e o seu envolvimento direto com o governo e os negócios públicos.
É muito doloroso ver a que degrau já desceu a política em nosso pais, arrastada pela fúria dos que o comandam nos tempos atuais.” Do ex-senador Geraldo Melo