sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Chega a 100 número de presos que fugiram este ano no RN

G1 RN - Na noite desta quarta (24), 5 presos reutilizaram túnel e fugiram de Alcaçuz. Secretaria de Segurança não sabe quantos fugitivos foram recapturados.
A direção da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, maior presídio do Rio Grande do Norte, confirmou a fuga de mais cinco presos do pavilhão 1. Os detentos escaparam na noite desta quarta-feira (24) pelo mesmo túnel que foi utilizado no domingo (21), quando dois internos fugiram da unidade. Alcaçuz fica em Nísia Floresta, cidade da Grande Natal.
Agora, chega a 100 o número total de detentos que conseguiram escapar do sistema prisional potiguar este ano. Só de Alcaçuz, foram 21 - todos por túneis escavados sob os pavilhões da unidade. A primeira foi no dia 19 de janeiro. Na ocasião, três conseguiram fugir. Dois dias depois, escaparam outros 10. E também teve a fuga do último domingo, quando dois escaparam.
Nem a Secretaria de Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) nem a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) sabem informar quantos fugitivos foram recapturados.
Ivo Freire, diretor de Alcaçuz, admitiu que apenas a entrada e a saída do túnel foram fechadas após a fuga do domingo. "A escavação, sob a penitenciária, é a mesma. A extensão não foi concretada", explicou.
Ainda de acordo com Ivo, são 300 detentos somente no pavilhão 1. Ao todo, Alcaçuz possui 1.100 presos.
Os presos que fugiram nesta quarta são: Asclepíades Santos de Souza, Roneilson Cardoso de Lima, Geraldo Neto de Souza, Maicon Souza da Silva e Severino dos Ramos Feliciano Simão.
Sistema em calamidade
O sistema penitenciário potiguar está em calamidade pública desde o dia 17 de março de 2015, após uma onda de rebeliões que atingiu pelo menos 14 das 33 unidades prisionais do estado. O decreto, renovado em setembro, tem validade até março deste ano.
De acordo com a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc), já foram gastos mais de R$ 7 milhões nas reformas das unidades depredadas. A secretaria reconhece que o sistema penitenciário do RN é ultrapassado e precisa de uma modernização com mais eficiência e tecnologia nos processos.