sábado, 13 de fevereiro de 2016

23 crimes violentos foram registrados no período do Carnaval

190rn - A Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) apresentou na manhã desta sexta-feira (12) o balanço da Operação Carnaval 2016, no auditório da governadoria, no Centro Administrativo, em Natal. Durante a coletiva foram apresentados os resultados das ações desenvolvidas pelos órgãos que compõem a pasta (Policia Militar, Policia Civil, Corpo de Bombeiros e Itep) na Região Metropolitana e no interior do estado.
Os dados apresentados foram levantados pela Coordenadoria de Estatísticas e Análises Criminais (COINE) da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) e correspondem ao período das 20h da sexta-feira (5) até às 6h da quarta-feira (10).
Com o planejamento operacional integrado e as ações de policiamento preventivo e ostensivo não foram registrados Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) nas áreas de eventos carnavalescos, nem casos que tenham relação direta ao evento momesco. Diferentemente do ano passado, quando seis crimes violentos letais tiveram ligação com a folia, neste ano as áreas carnavalescas foram consideradas mais seguras, sem nenhum registro de CVLI. A Sesed registrou, neste período, 23 assassinatos, ou seja, cinco a mais do que em 2015 quando aconteceram 18 casos. Do total de CVLIs registrados nove ocorreram na capital.
Além disso, a Sesed identificou uma redução no número de furtos no Rio Grande do Norte. O número foi 17% menor do que o de 2015, quando foram registradas 84 ocorrências, contra 70 deste ano. Também foi registrada uma queda no número de ocorrências de lesões corporais. O número é 19% menor que em 2015, quando apresentou 21 ocorrências. Este ano, foram 17.
Polícia Militar contabiliza apreensão de 29 armas e 143 munições
A Polícia Militar do Estado do Rio Grande do Norte instituiu neste carnaval a doutrina do “Tolerância Zero” contra a criminalidade, empregando diariamente 1.598 policiais militares no policiamento preventivo, ostensivo e de trânsito rodoviário.
Como resultado das intensificações de policiamento e da ação fiscalizatória da Polícia Militar durante o período carnavalesco, a PMRN contabilizou a apreensão de 29 armas de fogo e 143 munições de diversos calibres em todo o Estado. Desse total, 20 armas e 108 munições foram apreendidas na Região Metropolitana, enquanto 9 armas e 35 munições foram retiradas de circulação nas diversas cidades do interior do Estado.
Além das armas e munições, a Polícia Militar retirou mais de 5 kg de entorpecentes que seriam comercializados durante a festividade momesca e recuperou 26 veículos que possuíam registro de roubo/furto. Desses veículos recuperados, seis foram na Região Metropolitana e vinte no interior.
A intensificação do policiamento da Polícia Militar ainda registrou a recondução de 12 foragidos da Justiça ao sistema prisional do Estado para o cumprimento de suas respectivas penas privativas de liberdade, sendo oito deles capturados na Região Metropolitana e quatro no interior.
CPRE fiscalizou 3.379 veículos e registrou uma redução de 26% nos acidentes
No âmbito do Comando de Polícia Rodoviária Estadual, os militares estaduais com atuação nas rodovias e vias estaduais fiscalizaram um total de 3.379 veículos, realizando 1.281 testes de etilômetros, onde 41 condutores foram flagrados dirigindo sob o efeito de álcool e 69 foram conduzidos à Delegacia de Polícia Civil por negarem-se a realizar o teste de alcoolemia.
Ainda no âmbito do policiamento rodoviário, o CPRE removeu ao pátio do Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN) 64 veículos por apresentarem irregularidades, além de registrar a apreensão de 54 Carteiras Nacional de Habilitação e a notificação de 729 condutores por infrações no trânsito.
Apesar do registro de 42 acidentes de trânsito, o Comando de Polícia Rodoviária Estadual considerou o período da festa de Momo tranquilo, com a redução em 26% nos acidentes se comparado ao mesmo período em 2015.
Polícia Civil realizou quase 170 flagrantes durante a Operação Carnaval
Durante o período das festas carnavalescas de 2016, a Delegacia Geral da Polícia Civil (Degepol) montou um plano estratégico para combater a ação de criminosos e conseguiu realizar, em todo o Estado, 167 flagrantes de pessoas que são suspeitas de terem praticado os mais diversos crimes. A Operação Carnaval foi efetivada pela Diretoria de Polícia Civil da Grande Natal (DPGRAN) e pela Diretoria de Policiamento do Interior (DPCIN). As atividades da Polícia Judiciária foram desenvolvidas por 488 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães.
Durante os dias de festa, 112 pessoas foram presas em flagrante no interior do Estado e 55 suspeitos foram detidos na Grande Natal. Os presos durante a Operação Carnaval são suspeitos de crimes como tráfico de entorpecentes, furto e roubo, violência doméstica e porte ilegal de arma de fogo. A Polícia Civil ainda realizou a lavratura de 53 Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO´s), sendo 35 no Interior e 18 na Grande Natal, os quais são relativos a realização de crimes de menor potencial ofensivo.
Todo o trabalho desenvolvido pela Polícia Civil contou com o funcionamento de 20 delegacias em regime de plantão, além do trabalho de delegacias especializadas como a DENARC (Narcóticos), DCA (Exploração sexual de crianças e adolescentes) e DEATUR (Turista).
Bombeiros realizam oito salvamentos aquáticos e vistoriam eventos em 33 cidades
O Corpo de Bombeiros Militar do RN (CBMRN) realizou no período do Carnaval 5.700 atendimentos em todo o RN. Deste total, 5.536 foram realizadas no litoral, 112 foram atividades operacionais diversas e 52 foram relativos as ações do Serviço Técnico de Engenharia.
Neste período, o CBMRN atuou com 46 guarda-vidas distribuídos em 14 postos no litoral potiguar. Oito banhistas que estavam sendo levados por correntes marítimas foram resgatados, sendo dois na Praia do Amor e um na Praia da Barra, em Tibau do Sul, quatro em Búzios, em Nísia Floresta, e um na Praia do Forte, em Natal.
Os dados estatísticos de salvamento aquático apontam uma redução de 73,3% quando comparado com o mesmo período do ano passado, demonstrando a eficiência dos trabalhos de prevenção realizados pela corporação, em conjunto com a Força Nacional, por meio das ações de orientação, advertência, sinalização com bandeiras e distribuição de 6.000 mil panfletos e 1.000 pulseiras de identificação para crianças.
O CBMRN também registrou dois óbitos por afogamento no litoral durante o Carnaval, sendo um no domingo (8), na Praia da Redinha, em Natal, e outro na Praia do Ceará, em Tibau.
O Serviço Técnico de Engenharia (SERTEN) do CBMRN atuou realizando em 41 vistorias, seis denúncias e cinco interdições, em 33 municípios com estruturas de eventos temporários. Os eventos carnavalescos interditados, por apresentarem irregularidades, foram nos municípios de São Miguel do Gostoso, Barra de Maxaranguape (Princesinha Barra Clube), Triunfo Potiguar (Trio elétrico), Macau (Baile Preto e Branco) e Cerro Corá (palco próximo a rede elétrica).
Itep-RN realizou cerca de 250 atendimentos durante o Carnaval 2016
O Instituto Técnico-Científico de Polícia do Rio Grande do Norte (Itep-RN) realizou 249 perícias, identificações criminais, necropsias e exames de traumatologia durante o período carnavalesco nas três regionais: Natal, Mossoró e Caicó. A contabilidade das estatísticas do órgão compreende o período de 0h do sábado (6) às 12h da quarta-feira (10).
Nos cinco dias de folia, os peritos do Instituto analisaram 33 locais de crime em todo o estado, 19 deles relacionados a mortes violentas por uso de arma de fogo. Natal concentrou o maior número de atendimentos de perícias, foram 28.
“Tivemos acionamentos das equipes de criminalística das três unidades nesse período. O perito da Subcoordenadoria de Caicó, por exemplo, que não tem habitualmente e nós escalamos para diminuir o tempo de resposta durante a operação “Carnaval Mais Seguro 2016”, foi até o município de São Vicente, onde uma criança de oito anos foi encontrada morta dentro de um açude”, disse o diretor geral do ITEP, Odair Júnior.
Os atendimentos no setor de traumatologia – exames de corpo delito, conjunção carnal, lesão corporal, e outros – aumentaram mais de 15%, saltando de 130, em 2015, para 151 esse ano. Além da realização de outros 13 testes feitos pelo Laboratório Forense, em substâncias entorpecentes, apreendidas pelas polícias Civil e Militar.
Este ano, o número de identificações criminais feitas de suspeitos flagranteados, que não possuíam documentos de identidade, totalizou 12, o equivalente ao triplo das feitas no Carnaval passado.
Durante o Carnaval, o ITEP contou com quase 180 servidores para atender a demanda de exames e perícias nas três unidades do Instituto.