Pular para o conteúdo principal

Impostômetro do RN

Mais de 100 pacientes aguardam por cirurgia no Hospital Walfredo Gurgel

Tribuna do Norte - A espera indefinida é parte da sina de quem precisa de uma cirurgia ortopédica na rede pública de saúde. Com um conjunto de hospitais que não consegue atender a demanda para esse tipo de procedimento, o drama de quem aguarda por uma solução se acumula nos leitos e corredores do principal hospital do Rio Grande do Norte. Até ontem, 101 pacientes estavam internados no Walfredo Gurgel com fraturas nos ossos e necessitavam de uma cirurgia.
Só nos corredores do Pronto-Socorro Clóvis Sarinho havia, pelo menos, 20 pessoas estão internadas. Um deles é o servente de pedreiro Raimundo da Silva Miranda de 54 anos. Residente em Extremoz, ele foi levado para a maior unidade hospitalar do RN depois de sofrer um acidente de moto na tarde do dia 25 de dezembro passado. Resultado: fratura em três pontos de uma das pernas. Desde então, Raimundo espera, num correndo sem ar condicionado e abafado, que seu problema seja resolvido. “Tão dizendo que a cirurgia é difícil pra sair. Só tem lá no hospital de Parnamirim [Hospital Estadual Deoclécio Marques]”, disse enquanto se abanava com um pedaço de papelão.
Aliás, ele não é o único que conseguiu um abanador improvisado. Todos os pacientes e acompanhantes do corredor reclamavam do calor. Em outros pontos, o ar condicionado funciona normalmente. Além de aguardar 14 dias pela cirurgia, os pacientes e os acompanhantes não recebem qualquer previsão da cirurgia. Raimundo Miranda afirma que sente dores na perna  fraturada frequentemente. Nem os remédios conseguem amenizá-las. Vale lembrar que a demora para a realização de cirurgias ortopédicas pode deixar sequelas definitivas.  “Isso aqui é uma calamidade. A gente paga tão caro nosso imposto e é tratado como bicho”, acrescentou o servente de pedreiro. 
O HWG é só parte de uma rede de hospitais públicos e privados que deveriam atender esse tipo de paciente. O maior hospital do Rio Grande do Norte é responsável por fazer intervenções médicas imediatas, principalmente em fraturas expostas. Ele seria a porta de entrada para que, num segundo momento, outros hospitais realizem as cirurgias ortopédicas.
Entre esses hospitais, está   o Deoclécio Marques, em Parnamirim. No final do ano passado, os médicos que prestam serviço por meio de uma cooperativa paralisaram os serviços por atraso no pagamento. Conforme a diretora-geral da unidade, Denise Aragão, as cirurgias foram retomadas na última semana do ano. “Os nossos pacientes são regulados a partir do Walfredo Gurgel e do Interior”, informou. São cinco ortopedistas por plantão que conseguem realizar entre 10 e 15 cirurgias por dia segundo disse a diretora. Ainda segundo Aragão, havia oito pessoas esperando por cirurgias em macas no Deoclécio.
De acordo com a pactuação do SUS, o município de Natal também é responsável por parte dessas cirurgias. Embora a Prefeitura de Natal tenha inaugurado um novo hospital no final do ano passado, três centros cirúrgicos ainda estão sem funcionar. Por isso, o município paga as cirurgias ao Hospital Memorial e à Pronto-clínica Paulo Gurgel. Nesse último estabelecimento, houve um recesso de fim de ano do dia 23 até 4 deste mês para manutenção dos equipamentos, da estrutura física e descanso dos funcionários. Segundo o diretor administrativo, Emerson Gurgel, são feitas, em médias, 10 cirurgias ortopédicas por dia pelo SUS.
Esse intervalo de tempo pode ter gerado um crescimento  da fila de espera. A reportagem não conseguiu falar com a direção do Hospital Memorial para saber se houve recesso também. A assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que, por enquanto, não há outro serviço para atender os pacientes durante o recesso de final de ano. A SMS informou também que no final de março de 2016 os três centros cirúrgicos devem estar funcionando no Hospital Municipal de Natal (antigo Médico-Cirúrgico), prioritariamente, para procedimento ortopédicos. O órgão municipal espera que o serviço público consiga abarcar a demanda que hoje é paga na rede privada. A SMS não informou qual será a capacidade de cirurgias.

Postagens mais visitadas deste blog

ÁUDIO: Capitão Styverson detona a Polícia Civil diz que agentes e delegados são preguiçosos.

O temido capitão da Lei Seca, Styverson Valetim, que faz um excelente trabalho nas blitzes de trânsito, criticou com veemência os integrantes da Polícia Civil em um áudio que circula pelos grupos de WhatsApp. “Meu trabalho funciona, pois só depende de mim. Não sou vinculado à Polícia Militar”, disse Styverson no áudio, fazendo críticas até a corporação que faz parte. Depois detonou a Polícia Civil: “O Policial Civil ganha muito bem e um delegado ganha R$ 23 mil para não fazer nada”. “Já denunciei as delegacias que não querem trabalhar por preguiça”, diz ainda o Capitão Styverson. (HeitorGregório).

Violência no Rio Grande do Norte - 29.05.2016

Casal aborda e da garupa da motocicleta mulher mata jovem no Igapó 190rn - Um homicídio foi registrado neste sábado no bairro de Igapó, vitimando um jovem identificado como Eduardo, conhecido como “Dudu”, que foi vítima de pelo menos quatro disparos de arma de fogo. Segundo informações de populares, a vítima estava em frente a uma residência quando um casal chegou no local em uma motocicleta e a mulher, que estava na garupa, atirou contra ele.
Após ter sido ferido, ele ainda foi socorrido ao Hospital Santa Catarina, mas não resistiu aos ferimentos, morrendo na unidade hospitalar. Mototaxista é executado dentro de casa em São Paulo do Potengi 190rn - Um homicídio foi registrado na madrugada deste domingo, na cidade de São Paulo do Potengi vitimando um mototaxista identificado como Paulo Sérgio, mais conhecido na cidade como “Rosinha”. A vítima foi alvejada por disparos de arma de fogo, quando estava na sua residência e ainda foi socorrido mais não resistiu aos ferimentos, morrendo antes da c…

Mega Fazenda de Lula na Argentina

Segundo o guia dos pescadores a Mega Fazenda pertence ao ex-presidente da República Luiz Inácio LULA da Silva e seu filho Lulinha. Assistam o vídeo e vejam onde o dinheiro do Brasil, do povo brasileiro está indo parar. (jonasmelloradialista)