terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Justiça determina retorno do delegado Fábio Rogério à Dehom

A Justiça determinou o retorno do delegado Fábio Rogério para a Delegacia Especializada de Homicídios de Natal (Dehom). Transferido em outubro de 2015, após acusar a Delegacia Geral de Polícia Civil do Rio Grande do Norte (Degepol) de promover "terrorismo administrativo", o delegado deverá ser novamente o titular da Especializada. A informação foi confirmada pelo próprio delegado na tarde desta terça-feira (19).
Em seu perfil no Facebook o delegado comemorou a decisão da Ação Ordinária n º0800305-92.2016.8.205001do Juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública, Dr. Airton Pinheiro, que determina a suspensão imediata dos efeitos da Portaria n 634/2015 GDG/PCRN de 15/10/2015 que o tirou da titularidade da Dehom no ano passado.
Ao Nominuto, Fábio Rogério disse estar feliz com a decisão. “Passei um infortúnio muito grande diante de tanta perversidade. A minha saída de lá foi injusta, por perseguição e agora estou muito feliz porque a justiça está sendo feita”, disse.
O delegado está de licença médica em Pernambuco e ficou sabendo da decisão na tarde de hoje. Ele comentou sua transferência e os rumores que circulou em torno dela. “Colocaram-me em situações que jamais aconteceu, coisas que denegriram minha imagem, como venda de inquérito, e isso nunca aconteceu”, acrescentou.
Ainda não existe uma data definida para Fábio Rogério assumir a delegacia. “Retorno para Natal essa semana. O delegado irá me passar a delegacia em breve,  pois ainda tem o inventário e todos os trâmites”, esclareceu.
Segundo o delegado, o  próximo passo é assumir o trabalho com mais determinação ainda. “Quero desvendar os homicídios que aconteceram e elucidar os casos em investigação, prendendo criminosos que estão soltos em natal aterrorizando a cidade”, finaliza.
Degepol
Em contato com a Assessoria de Imprensa da Delegacia Geral da Polícia Civil (Degepol), a reportagem foi informada que o delegado-geral, Stenio Pimentel, ainda não foi notificado desta segunda decisão. “Até o momento, a única decisão que ele [delegado-geral] está ciente é da primeira que mantem o afastamento dele [Fábio Rogério]”, informou o assessor.