sábado, 30 de janeiro de 2016

Evangelho do Dia/Santo do Dia

30 de janeiro de 2016 – CNBB
1ª Leitura - 2Sm 12,1-7a.10-17
'Pequei contra o Senhor'.
Leitura do Segundo Livro de Samuel 12,1-7a.10-17
Naqueles dias:
1O Senhor mandou o profeta Natã a Davi.Ele foi ter com o rei e lhe disse-lhe: 'Numa cidade havia dois homens, um rico e outro pobre.
2O rico possuía ovelhas e bois em grande número.
3O pobre só possuía uma ovelha pequenina, que tinha comprado e criado. Ela crescera em sua casa junto com seus filhos, comendo do seu pão, bebendo do mesmo copo,
dormindo no seu regaço. Era para ele como uma filha.
4Veio um hóspede à casa do homem rico, e este não quis tomar uma das suas ovelhas
ou um dos seus bois para preparar um banquete e dar de comer ao hóspede que chegara. Mas foi, apoderou - se da ovelhinha do pobre e preparou-a para o visitante'.
5Davi ficou indignado contra esse homem e disse a Natã: 'Pela vida do Senhor, o homem que fez isso merece a morte!
6Pagará quatro vezes o valor da ovelha, por ter feito o que fez e não ter tido compaixão'.
7aNatã disse a Davi: 'Esse homem és tu! Assim diz o Senhor, o Deus de Israel:
10Por isso, a espada jamais se afastará de tua casa, porque me desprezaste e tomaste a mulher do hitita Urias para fazer dela a tua esposa.
11Assim diz o Senhor:  Da tua própria casa farei surgir o mal contra ti e tomarei as tuas mulheres, sob os teus olhos, e as darei a um outro, e ele se aproximará das tuas mulheres à luz deste sol.
12Tu fizeste tudo às escondidas. Eu, porém, farei o que digo diante de todo o Israel e à luz do sol'.
13Davi disse a Natã; 'Pequei contra o Senhor'. Natã respondeu-lhe: 'De sua parte, o Senhor perdoou o teu pecado. de modo que não morrerás!
14Entretanto, por teres ultrajado o Senhor com teu procedimento o filho que te nasceu morrerá'.
15E Natã voltou para a sua casa. O Senhor feriu o filho  que a mulher de Urias tinha dado a Davi e ele adoeceu gravemente.
16Davi implorou a Deus pelo menino  e fez um grande jejum. E, voltando para casa, passou a noite deitado no chão.
17Os anciãos do palácio insistiam com ele para que se levantasse do chão; mas ele não o quis fazer nem tomar com eles alimento algum.
Palavra do Senhor.
Salmo - Sl 50, 12-13. 14-15. 16-17 (R. 12a)
R. Criai em mim um coração que seja puro!
12Criai em mim um coração que seja puro, * dai-me de novo um espírito decidido.
13ó Senhor, não me afasteis de vossa face, * nem retireis de mim o vosso Santo Espírito!R.
14Dai-me de novo a alegria de ser salvo * e confirmai-me com espírito generoso!
15Ensinarei vosso caminho aos pecadores, * e para vós se voltarão os transviados.R.
16Da morte como pena, libertai-me, * e minha língua exaltará vossa justiça!
17Abri meus lábios, ó Senhor, para cantar, * e minha boca anunciará vosso louvor!R.
Evangelho - Mc 4,35-41
Quem é este a quem até o vento e o mar obedecem?
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 4,35-41
35Naquele dia, ao cair da tarde, Jesus disse a seus discípulos: 'Vamos para a outra margem!'
36Eles despediram a multidão e levaram Jesus consigo, assim como estava na barca.
Havia ainda outras barcas com ele.
37Começou a soprar uma ventania muito forte e as ondas se lançavam dentro da barca, de modo que a barca já começava a se encher.
38Jesus estava na parte de trás, dormindo sobre um travesseiro. Os discípulos o acordaram e disseram: 'Mestre, estamos perecendo e tu não te importas?'
39Ele se levantou e ordenou ao vento e ao mar: 'Silêncio! Cala-te!' O ventou cessou e houve uma grande calmaria.
40Então Jesus perguntou aos discípulos: 'Por que sois tão medrosos?
Ainda não tendes fé?'
41Eles sentiram um grande medo e diziam uns aos outros: 'Quem é este, a quem até o vento e o mar obedecem?'
Palavra da Salvação.
Reflexão - Mc 4, 35-41
Existem muitas coisas na nossa existência que nos deixam com medo, desde coisas simples, como o medo de insetos inofensivos, até coisas verdadeiramente terríveis, que podem em questão de segundos aniquilar a nossa vida, como é o caso de terremotos ou guerras nucleares. Além disso, temos os nossos fantasmas que criamos e que nos metem medo, como por exemplo o medo de escuro ou de almas do outro mundo. Mas existem pessoas que possuem também um medo muito grande do próprio Deus, e isso acontece porque não foram capazes de descobri-lo como amor e de buscarem um relacionamento amoroso com ele, fazendo do próprio Deus um fantasma a mais nas suas próprias vidas.
Santo do Dia
Santa Jacinta Marescotti, mestra das noviças
Jacinta Marescotti de tal forma empenhou-se na vida de oração, de pobreza, de castidade e vivência da regra
Em Roma, em 1585, nasceu Jacinta, dentro de uma família muito nobre, religiosa, com posses, mas que possuía, principalmente, a devoção, o amor acima de tudo. Seus pais faziam de tudo para que os filhos conhecessem Jesus e recebessem uma ótima educação.
Jacinta Marescotti que, então, tinha como nome de batismo Clarisse, foi colocada num convento para a sua educação, numa escola franciscana, juntamente com as irmãs. Uma das irmãs dela já era religiosa franciscana.
Crescendo na educação religiosa, com valores. No entanto, a boa formação sempre respeita a liberdade. Já moça e distante daqueles valores por opção, ela quis casar-se. Saiu da vida religiosa, começou a percorrer caminhos numa vida de pecados, entregue à vaidade, à formosura e aos prazeres. Enfim, ia se esvaziando. Até que outra irmã sua veio a se casar. Sua reação não foi de alegria ou de festa, pelo contrário, com inveja e revolta ela resolveu entrar novamente na vida religiosa.
A consequência foi muito linda, porque ao entrar nesse segundo tempo, ela voltou como estava: vazia, empurrada por ela própria, pela revolta. Lá dentro, ela foi visitada por sofrimentos. Seu pai, que tanto ela amava e que lhe dava respaldo material, faleceu, foi assassinado. Ela pegou uma enfermidade que a levou à beira da morte. Naquele momento de dor, ela pôde rever a sua vida e perceber o quanto Deus a amava e o quanto ela não correspondia a esse amor.
Arrependeu-se, quis confessar-se e o sacerdote foi muito firme, inspirado naquele momento a dizer: “Eu só entro para o sacramento da reconciliação se sair, do quarto dela, tudo aquilo que está marcado pelo luxo e pela vaidade”. Até as suas vestes eram de seda, diferente das outras irmãs. Ela aceitou, pois já estava num processo de conversão. Arrependeu-se, confessou-se e, dentro do convento, começou a converter-se.
Jacinta Marescotti de tal forma empenhou-se na vida de oração, de pobreza, de castidade e vivência da regra que tornou-se, mais tarde, mestra de noviças e superiora do convento.
Deus faz maravilhas na vida de quem se deixa converter pelo Seu amor.
Santa Jacinta Marescotti, rogai por nós!