terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Evangelho do Dia/Santo do Dia

CNBB - 19 de janeiro de 2016 - 3ª-feira da 2ª Semana -Tempo Comum
1ª Leitura - 1Sm 16,1-13
Samuel ungiu Davi na presença de seus irmãos. E a partir daquele dia, o espírito do Senhor se apoderou de Davi.
Leitura do Primeiro Livro de Samuel 16,1-13
Naqueles dias:
1O Senhor disse a Samuel: 'Até quando ficarás chorando por causa de Saul, se eu mesmo o rejeitei para que não reine mais sobre Israel? Enche o chifre de óleo e vem, para que eu te envie à casa de Jessé de Belém, pois escolhi um rei para mim entre os seus filhos'.
2Samuel ponderou: 'Como posso ir? Se Saul o souber, vai-me matar'. O Senhor respondeu: 'Tomarás contigo uma novilha da manada, e dirás: 'Vim para oferecer um sacrifício ao Senhor'.
3Convidarás Jessé para o sacrifício. Eu te mostrarei o que deves fazer, e tu ungirás a quem eu te designar'.
4Samuel fez o que o Senhor lhe disse, e foi a Belém. Os anciãos da cidade vieram-lhe ao encontro, e perguntaram: 'É de paz a tua vinda?'
5'Sim, é de paz', respondeu Samuel. 'Vim para fazer um sacrifício ao Senhor. Purificai-vos e vinde comigo, para que eu ofereça a vítima'. Ele purificou então Jessé e seu filhos e convidou-os para o sacrifício.
6Assim que chegaram, Samuel viu a Eliab, e disse consigo: 'Certamente é este o ungido do Senhor!'
7Mas o Senhor disse-lhe: 'Não olhes para a sua aparência nem para a sua grande estatura, porque eu o rejeitei. Não julgo segundo os critérios do homem: o homem vê as aparências, mas o senhor olha o coração'.
8Então Jessé chamou Abinadab e apresentou-o a Samuel, que disse: 'Também não é este que o Senhor escolheu'.
9Jessé trouxe-lhe depois Sama, e Samuel disse: 'A este tampouco o Senhor escolheu'.
10Jessé fez vir seus sete filhos à presença de Samuel, mas Samuel disse: 'O Senhor não escolheu a nenhum deles'.
11E acrescentou: 'Estão aqui todos os teus filhos?' Jessé respondeu: 'Resta ainda o mais novo, que está apascentando as ovelhas'. E Samuel ordenou a Jessé: 'Manda buscá-lo, pois não nos sentaremos à mesa, enquanto ele não chegar'.
12Jessé mandou buscá-lo. Era ruivo, de belos olhos e de formosa aparência. E o Senhor disse: 'Levanta-te, unge-o: é este!'
13Samuel tomou o chifre com óleo e ungiu Davi na presença de seus irmãos.
E a partir daquele dia, o espírito do Senhor se apoderou de Davi. A seguir, Samuel se pôs a caminho e voltou para Ramá.
Palavra do Senhor.
Salmo - Sl 88, 20. 21-22. 27-28 (R. 21a)
R. Encontrei e escolhi a Davi, meu servidor.
20Outrora vós falastes em visões a vossos santos: + 'Coloquei uma coroa na cabeça de um herói * e do meio deste povo escolhi o meu Eleito.R.
21Encontrei e escolhi a Davi, meu servidor, * e o ungi, para ser rei, com meu óleo consagrado.
22Estará sempre com ele minha mão onipotente, * e meu braço poderoso há de ser a sua força.R.
27Ele, então, me invocará: 'Ó Senhor, vós sois meu Pai, * sois meu Deus, sois meu Rochedo onde encontro a salvação!`
28E por isso farei dele o meu filho primogênito, * sobre os reis de toda a terra farei dele o Rei altíssimo.R.
Evangelho - Mc 2,23-28
O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 2,23-28
23Jesus estava passando por uns campos de trigo, em dia de sábado. Seus discípulos começaram a arrancar espigas, enquanto caminhavam.
24Então os fariseus disseram a Jesus: 'Olha! Por que eles fazem em dia de sábado o que não é permitido?'
25Jesus lhes disse: 'Por acaso, nunca lestes o que Davi e seus companheiros fizeram quando passaram necessidade e tiveram fome?
26Como ele entrou na casa de Deus, no tempo em que Abiatar era sumo sacerdote, comeu os pães oferecidos a Deus, e os deu também aos seus companheiros? No entanto, só aos sacerdotes é permitido  comer esses pães.'
27E acrescentou: 'O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado.
28Portanto, o Filho do Homem é senhor também do sábado.'
Palavra da Salvação.
Reflexão - Mc 2, 23-28
Novamente entra em discussão a questão das práticas religiosas. O evangelho de hoje nos apresenta a questão do legalismo religioso e da verdadeira finalidade da religião. Muitas vezes, vemos que as religiões estão muito mais fundamentadas em proibições do que em motivações e na criação de novos relacionamentos das pessoas com Deus e das pessoas entre si. O resultado dessa mentalidade é que a religião se torna cada vez mais uma coisa odiosa e insuportável, e Deus aparece não como um Pai amoroso, mas como um carrasco autoritário. A verdadeira religião é aquela que cria valores e leva as pessoas à maturidade em todos os sentidos para que livremente possam optar por Deus.
SANTO DO DIA
São Canuto, contribuiu para a evangelização
São Canuto tinha sensibilidade com as viúvas, os órfãos e os mais necessitados
São Canuto nasceu no ano de 1040 na Dinamarca. Filho de um rei, era sucessor natural. Mas aconteceu que, pela sua vida de oração, testemunho, caridade e justiça, quando o pai faleceu, muitos moveram-se com artimanhas para colocar seu irmão no trono de maneira injusta. Quanto à sua posição, ele não era apegado ao poder nem o queria para si, então esperou. Depois do falecimento do irmão, ocupou o seu lugar que era de justiça.
Homem de Deus, um sinal para o povo, ele contribuiu para a evangelização. Primeiro, com o seu exemplo, pois acreditava que a melhor forma de educar uma nação é o bom exemplo. Ele viveu para sua esposa e para seu filho Carlos, que mais tarde se tornaria também um santo. Pai santo, esposo santo, um governador, um homem de poderes; mas que usou esses poderes para servir, a modelo de Nosso Senhor Jesus Cristo.
São Canuto, amado por muitos e odiado também como Nosso Senhor, foi vítima de artimanhas por pessoas fechadas para Deus e para o bem, porque ele tinha muita sensibilidade com as viúvas, os órfãos e os mais necessitados. Nele, batia um coração que se assemelhava ao de Jesus. Como rei, possuiu muitos desafios e, ao perceber os inimigos se armando, participou de uma Eucaristia como era de costume. Nela, ele não só recebeu o Nosso Senhor, mas, em nome de Jesus, perdoou todos os seus inimigos. Foi então assassinado.
São Canuto, rogai por nós!