segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

EI prepara ataques em grande escala na Europa, alerta Europol

O Globo - Um dia depois de o Estado Islâmico (EI) publicar um vídeo que supostamente mostra os nove autores dos atentados que deixaram 130 mortos em Paris novembro do ano passado, a agência policial europeia Europol alertou nesta segunda-feira que o grupo extremista planeja ataques de grande escala concentrados no continente. De acordo com um relatório da instituição, um dos alvos seria mais uma vez a França. Em visita oficial à Índia, o presidente François Hollande disse não se sentir ameaçado e prometeu continuar a luta contra o terrorismo.
— Nada nos assustará, nenhuma ameaça fará a França hesitar sobre o que deve fazer no combate ao terrorismo — afirmou Hollande a jornalistas durante uma visita oficial à Índia. — Estas imagens não fazem mais do que desqualificar os autores dos crimes.
O relatório da agência europeia, apresentado pelo diretor Rob Wainwright e divulgado junto com a inauguração de um novo centro antiterrorismo, mostra que o EI desenvolveu uma capacidade de combate para uma nova campanha de ataques com um foco particular na Europa. Para Wainwright, os atentados de Paris são um exemplo da ameaça.
O documento reúne as conclusões de um seminário de especialistas realizado em dezembro e expõe as mudanças no modo de operar do grupo jihadista, que realiza ataques complexos e coordenados, utilizando combatentes locais que conhecem o terreno.
“Os combatentes locais do Estado Islâmico têm uma liberdade tática de adaptar seus planos a circunstâncias locais específicas, o que soma uma dificuldade a mais às autoridades para detectar esses planos e identificar as pessoas envolvidas”, assinala o estudo, apresentado na inauguração de um centro europeu antiterrorismo com sede em Haia.
Wainwright também alertou para o considerável aumento de documentos falsificados, com os quais os extremistas estão voltando da Síria para a Europa. Ele ainda fez um apelo para as polícias de todo o continente trabalharem juntar para rastrear armas e redes de financiamento aos terroristas.
NOVAS AMEAÇAS
Reforçando o conteúdo do documento, no domingo o EI publicou um vídeo de 17 minutos, intitulado “Mate-os onde quer que os encontre”, no qual aparecem extremistas ameaçando todos os países da coalizão internacional liderada pelos EUA contra alvos do EI no Iraque e na Síria. As imagens mostram os supostos autores do atentado na França - quatro belgas, três franceses e dois iraquianos - cometendo atrocidades, como decapitações e execuções à queima-roupa de reféns.
Os jihadistas, que se expressam em inglês e francês, são descritos na gravação como leões que puseram a França de joelhos. Há ainda passagens dos atentados de Paris e das operações da segurança francesa após os ataques. Em um momento do vídeo, aparece o primeiro-ministro britânico, David Cameron, acompanhado de uma legenda em inglês que diz:
“Quem se alinhar com os infiéis será alvo das nossas espadas”.
O porta-voz de Cameron disse nesta segunda-feira que o Reino Unido está analisando a gravação e criticou a iniciativa dos extremistas.
— É um novo movimento desesperado de um grupo terrorista terrível que está claramente em declínio — disse o porta-voz. Desde os atentados, a França permanece em estado de emergência, o que dá às autoridades poderes extra para atribuir prisões em domicílios e conduzir operações sem mandados judiciais. As medidas deveriam expirar em 26 de fevereiro, mas Hollande pretende prorrogá-las.
— Se adotei medidas para prorrogar o estado de emergência é porque sei que existe a ameaça e não vamos ceder em nada, nem nos meios de defender nosso país, nem nas liberdades — afirmou Hollande.

Até agora, oito autores dos atentados foram identificados pela polícia, que até agora não conseguiu determinar os nomes de dois homens-bomba que se explodiram do lado de fora do Stade de France e usavam passaportes sírios falsos. O grupo os apresenta, com seus nomes de guerra, como dois iraquianos. Todos os jihadistas foram apresentados na última edição da revista do EI, publicada em 19 de janeiro.