Pular para o conteúdo principal

Impostômetro do RN

Dama de Espadas: áudios revelam que Robinson queria detalhes da investigação

Tribuna do Norte - Suspensas há mais de 90 dias, a espera de uma decisão processual do Superior Tribunal Federal (STF),  as investigações da Operação Dama de Espadas foram motivo de preocupações para o então vice-governador e candidato ao governo do Estado, Robinson Faria (PSD). Trechos de áudios de interceptações telefônicas mostram que Robinson procurou junto a ex-procuradora geral da Assembleia Legislativa, Rita das Mercês, obter informações sobre as investigações. A preocupação era saber se os promotores investigavam fatos relativos ao período em que ele, Robinson, presidiu o Legislativo estadual (2003/2010). clique aqui e escute o áudio
A Operação Dama de Espadas, deflagrada pelo Ministério Público Estadual em agosto de 2015, investiga supostas fraudes com cheques salários na Assembleia Legislativa e desvios de R$ 5,5 milhões. A ex-procuradora Rita das Mercês é a principal acusada e chegou a ser presa. Liberada através de habeas corpus, ela foi exonerada do cargo e aguarda o desfecho das investigações. Um questionamento da Procuradoria Geral do Estado, sobre a competência dos procuradores na investigação e a quem caberia fazer a defesa dos acusados, foi acolhida de forma preliminar no Tribunal de Justiça estadual. Mas, nove desembargadores alegaram suspeição para a decisão final no pleno e o recurso processual acabou encaminhado ao STF.
 Os trechos de áudios divulgados agora, somam mais de 20 horas de interceptação telefônica autorizadas pela Justiça, a pedido da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público. O material foi conseguido pela equipe do site de notícias G1RN.
As conversas incluem, desde assuntos da mais restrita intimidade dos interceptados, às tratativas entre os investigados para burlar as investigações. Rita das Mercês tentava ser “blindada” a partir da “chama-violeta”, uma espécie de mantra feito por um guia espiritual – não identificado - que constantemente dialoga com ela. O “grandalhão branco” é o nome dado pelo guia espiritual de Rita das Mercês ao então candidato ao Governo do Estado, Robinson Faria.
O então presidente da Assembleia Legislativa no período das interceptações, agosto de 2014, deputado Ricardo Motta, aparece como um dos que foram atendidos pelo “guru”  e, também, em conversas nas quais  orienta a ex-procuradora para obter junto ao Procurador Geral de Justiça, Rinaldo Reis, informações sobre as investigações. “Mais tarde dê um  toquezinho para Rinaldo para saber se ele já tem alguma posição”, relembrou o ex-presidente da ALRN à Rita das Mercês.   
O principal trecho de conversa entre Rita das Mercês e o então candidato Robinson Faria, nestes áudios, ocorre no dia 26 de agosto de 2014, no fim de tarde. Servidores da Assembleia já estavam sendo intimados pelo MPE para esclarecer fatos da investigação. Robinson Faria pede detalhes acerca da investigação do Ministério Público Estadual e questiona se “o nosso amigo” sabia de alguma coisa. O termo parece ser usado em substituição ao nome do procurador-geral de Justiça, Rinaldo Reis.
Rita detalha, para Robinson, uma reunião que, supostamente, teria ocorrido entre o então presidente da Assembleia, Ricardo Motta, e o procurador Rinaldo Reis na manhã daquele dia. Neste encontro, os dois teriam dito ao procurador geral de Justiça que não “seria interessante” para o Ministério Público continuar com as investigações.
Os áudios obtidos pela reportagem não revelam fatos que incriminem o governador, mas somente a preocupação e o interesse dele sobre as investigações.

Postagens mais visitadas deste blog

ÁUDIO: Capitão Styverson detona a Polícia Civil diz que agentes e delegados são preguiçosos.

O temido capitão da Lei Seca, Styverson Valetim, que faz um excelente trabalho nas blitzes de trânsito, criticou com veemência os integrantes da Polícia Civil em um áudio que circula pelos grupos de WhatsApp. “Meu trabalho funciona, pois só depende de mim. Não sou vinculado à Polícia Militar”, disse Styverson no áudio, fazendo críticas até a corporação que faz parte. Depois detonou a Polícia Civil: “O Policial Civil ganha muito bem e um delegado ganha R$ 23 mil para não fazer nada”. “Já denunciei as delegacias que não querem trabalhar por preguiça”, diz ainda o Capitão Styverson. (HeitorGregório).

Violência no Rio Grande do Norte - 29.05.2016

Casal aborda e da garupa da motocicleta mulher mata jovem no Igapó 190rn - Um homicídio foi registrado neste sábado no bairro de Igapó, vitimando um jovem identificado como Eduardo, conhecido como “Dudu”, que foi vítima de pelo menos quatro disparos de arma de fogo. Segundo informações de populares, a vítima estava em frente a uma residência quando um casal chegou no local em uma motocicleta e a mulher, que estava na garupa, atirou contra ele.
Após ter sido ferido, ele ainda foi socorrido ao Hospital Santa Catarina, mas não resistiu aos ferimentos, morrendo na unidade hospitalar. Mototaxista é executado dentro de casa em São Paulo do Potengi 190rn - Um homicídio foi registrado na madrugada deste domingo, na cidade de São Paulo do Potengi vitimando um mototaxista identificado como Paulo Sérgio, mais conhecido na cidade como “Rosinha”. A vítima foi alvejada por disparos de arma de fogo, quando estava na sua residência e ainda foi socorrido mais não resistiu aos ferimentos, morrendo antes da c…

Mega Fazenda de Lula na Argentina

Segundo o guia dos pescadores a Mega Fazenda pertence ao ex-presidente da República Luiz Inácio LULA da Silva e seu filho Lulinha. Assistam o vídeo e vejam onde o dinheiro do Brasil, do povo brasileiro está indo parar. (jonasmelloradialista)