terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Cinco vereadores de Rosana/SP são acusados de usar verba pública para pagar prostitutas

Jornal Hoje - A Justiça determinou o afastamento de cinco vereadores de Rosana, no interior de São Paulo. Eles são investigados por desvio de diárias de viagem e por usar esse dinheiro público para pagar festas com prostitutas e bebidas.
A investigação do Ministério Público Estadual e da Polícia Civil revelou que muitas das viagens não foram feitas e, quando foram, algumas delas envolveram motivos pessoais, com direito a festas privadas e todas foram pagas com dinheiro público. A polícia fez buscas nas casas de cinco vereadores e quatro funcionários da Câmara Municipal de Rosana, no oeste paulista.
A Justiça afastou o presidente da Câmara, Roberto Fernandes Moya Junior, do PSDB, e outros quatro vereadores: Cícero Simplício e Filomeno de Carlos, ambos do PTB, Valdemir Santana dos Santos, do PPS, e Walter Gomes da Silva, do Solidariedade.
Em uma escuta telefônica autorizada pela Justiça, o presidente da Câmara dá detalhes sobre as festinhas para o contador da casa, Alan Patrick Ribeiro Correa.
Roberto Moya: Foi só escolhendo. Vem vocês duas. Aí começou, bicho.
Allan Patrick: (risos)
Roberto Moya: Allan do céu.
Alan Patrick: Meu deus do céu.
Roberto Maoa: Bicho, só tinha mulher top, Allan.
Quatro funcionários investigados também foram afastados dos cargos, mas vão continuar recebendo os salários até que haja uma condenação. Durante a operação, chamada Devassa, a polícia apreendeu celulares, computadores e documentos.
A equipe do Jornal Hoje tentou falar com os vereadores afastados, mas não conseguiu. Os telefones celulares deles foram apreendidos na operação. O presidente afastado da Câmara, Roberto Moya, não estava em casa.