quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Após fuga em massa, vigilância de presos continua de maneira precária

Direção do presídio afirma que reformas nas guaritas serão concluídas em três dias.
Após a fuga de 44 presos do presídio provisório Raimundo Nonato, localizado na Avenida Itapetinga, no bairro Potengi, as condições de vigilância na unidade continuam as mesmas. As guaritas ainda permanecem desativadas e policiais da guarda fiscalizam o local em tendas improvisadas construídas pelos próprios guariteiros.
A informação foi repassada por policiais militares da companhia de guarda que trabalham no presídio e que temem outras investigas dos detentos. A reportagem do Portal BO esteve na Cadeia Pública de Natal, como também é chamada a unidade prisional e constatou a denúncia.
Em um dos pontos mais críticos do presídio os PMs tentam impedir as fugas em uma espécie de tenda feita de lona e madeira, uma estrutura inadequada e insegura para o serviço de guarda.
A diretora da Cadeia, Dinorá Simas informou que a situação deverá ser resolvida nos próximos três dias com a recuperação e adequação das guaritas que foram destruídas pelos presos. "Hoje os técnicos começaram os serviços e no máximo até sábado estarão funcionando com toda segurança", relatou.
A fuga em massa ocorreu na madrugada da terça-feira, os apenados, que respondem todos por roubo, escaparam através de um túnel. Até agora sete deles foram recapturadps.