Pular para o conteúdo principal

Impostômetro do RN

Rogério Marinho cobra punição para integrantes de movimento que tentaram invadir supermercado

A terça-feira (22) em Natal ficou marcada pela tentativa de invasão de integrantes do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB) ao supermercado Extra, no shopping Midway Mall. Para o deputado federal Rogério Marinho (PSDB), enquanto o poder público for “conivente com ações como esta, a sociedade estará desprotegida”. O parlamentar cobra punição e critica a “parceria” do governo federal com movimentos como estes.
“Em nome da ‘democracia’ estes movimentos à margem da lei agridem pessoas, roubam, depredam patrimônio público e privado e ficam incólumes. Bloqueiam estradas, cometem ações de intimidação com facões, foices e até armas de fogo. São uma face exposta da milícia bolivariana financiada pelo governo do PT”, disse o parlamentar por meio de sua conta pessoal no Twitter (@rogeriosmarinho).
O grupo que protestou no Midway reunia cerca de 50 pessoas, muitos com a camisa vermelha da Central Única de Trabalhadores (CUT). Os manifestantes reivindicaram distribuição de alimentos para as famílias presentes e, após entrarem em acordo com a direção do supermercado, que precisou fechar as portas durante toda a manhã de ontem devido ao ocorrido, ainda anunciaram que mais ações como estas poderiam acontecer na cidade.
Para Rogério, “a única ação possível é a Lei, com Governo processando e prendendo quem a descumpre, e impedindo que a minoria continue a ameaçar o Brasil”. Recentemente, o Movimento Sem Terra (MST) fez protesto semelhante na estrada que dá acesso ao Aeroporto de São Gonçalo do Amarante. Na oportunidade, os passageiros precisaram caminhar até o terminal a pé para não perderem seus voos.(Robson Pires).

Postagens mais visitadas deste blog

ÁUDIO: Capitão Styverson detona a Polícia Civil diz que agentes e delegados são preguiçosos.

O temido capitão da Lei Seca, Styverson Valetim, que faz um excelente trabalho nas blitzes de trânsito, criticou com veemência os integrantes da Polícia Civil em um áudio que circula pelos grupos de WhatsApp. “Meu trabalho funciona, pois só depende de mim. Não sou vinculado à Polícia Militar”, disse Styverson no áudio, fazendo críticas até a corporação que faz parte. Depois detonou a Polícia Civil: “O Policial Civil ganha muito bem e um delegado ganha R$ 23 mil para não fazer nada”. “Já denunciei as delegacias que não querem trabalhar por preguiça”, diz ainda o Capitão Styverson. (HeitorGregório).

Violência no Rio Grande do Norte - 29.05.2016

Casal aborda e da garupa da motocicleta mulher mata jovem no Igapó 190rn - Um homicídio foi registrado neste sábado no bairro de Igapó, vitimando um jovem identificado como Eduardo, conhecido como “Dudu”, que foi vítima de pelo menos quatro disparos de arma de fogo. Segundo informações de populares, a vítima estava em frente a uma residência quando um casal chegou no local em uma motocicleta e a mulher, que estava na garupa, atirou contra ele.
Após ter sido ferido, ele ainda foi socorrido ao Hospital Santa Catarina, mas não resistiu aos ferimentos, morrendo na unidade hospitalar. Mototaxista é executado dentro de casa em São Paulo do Potengi 190rn - Um homicídio foi registrado na madrugada deste domingo, na cidade de São Paulo do Potengi vitimando um mototaxista identificado como Paulo Sérgio, mais conhecido na cidade como “Rosinha”. A vítima foi alvejada por disparos de arma de fogo, quando estava na sua residência e ainda foi socorrido mais não resistiu aos ferimentos, morrendo antes da c…

Mega Fazenda de Lula na Argentina

Segundo o guia dos pescadores a Mega Fazenda pertence ao ex-presidente da República Luiz Inácio LULA da Silva e seu filho Lulinha. Assistam o vídeo e vejam onde o dinheiro do Brasil, do povo brasileiro está indo parar. (jonasmelloradialista)