sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Papa condena consumismo durante Missa do Galo

O globo - Na Missa do Galo, celebrada pelo Papa Francisco na véspera deste Natal, o pontífice conclamou o 1,2 bilhão de católicos ao redor do mundo a não se “intoxicarem” com o consumismo e o hedonismo. Durante sua homilia — o momento de explicação do evangelho — na missa realizada à meia-noite na Basílica de São Pedro, Francisco pediu sobriedade aos cristãos, que devem inspirar suas vidas em Jesus, que “nasceu na pobreza em uma manjedoura apesar de sua divindade”.
Com a voz um pouco rouca devido a uma gripe contraída na semana passada, o líder da Igreja Católica teve sua fala acompanhada, in loco, por cerca de 10 mil pessoas.
— Em uma sociedade tão frequentemente intoxicada pelo consumismo e pelo hedonismo, riqueza e extravagância, aparências e narcisismo, [Jesus] nos chama a agir com sobriedade. Em outras palavras, de uma maneira simples, equilibrada, consistente, capaz de ver e fazer o que é essencial — afirmou ele.
O Papa também destacou a importância de uma relação saudável entre as pessoas.
—Em meio a uma cultura da indiferença que, não raro, se torna cruel, nosso estilo de vida deve ser devoto, cheio de empatia, compaixão e misericórdia, sentimentos retirados diariamente da fonte da oração — ressaltou Francisco.
Embora tenha discursado várias vezes ao longo do ano sobre a crise dos refugiados, o pontífice não abordou o tema em sua homilia, como muitos esperavam. Em setembro, ele foi enfático ao pedir que todos os religiosos da Europa oferecessem abrigo aos refugiados.
A segurança na Basílica de São Pedro foi reforçada, e todos os fiéis tiveram que passar por detector de metais.