Pular para o conteúdo principal

Impostômetro do RN

Brasil foi terceiro maior comprador de armas em 2014, diz relatório dos EUA

Folha SP - As vendas de armamento pelos EUA saltaram quase US$ 10 bilhões em 2014, ou 35%, mesmo com a estabilização do mercado internacional de Defesa e o aumento da competição entre diferentes fornecedores, mostra um novo estudo do Congresso.
As receitas americanas com venda de armas subiram para US$ 36,2 bilhões em 2014, contra US$ 26,7 bilhões no ano anterior, impulsionadas por acordos multibilionários com o Qatar, a Arábia Saudita e a Coreia do Sul.
Esses e outros acordos asseguraram que os EUA continuasse a ser o maior fornecedor de armas no mundo, com mais de 50% do mercado.
A Rússia aparece em seguida, com US$ 10,2 bilhões em vendas, comparado a US$ 10,3 bilhões em 2013. A Suécia foi a terceira, com US$ 5,5 bilhões, seguida pela França —US$ 4,4 bilhões— e a China, com US$ 2,2 bilhões.
A Coreia do Sul, um aliado-chave dos EUA, foi o principal comprador de armas do mundo em 2014, com US$ 7,8 bilhões em contratos. O país enfrenta contínua tensão com a vizinha Coreia do Norte relacionada programa de armas nucleares norte-coreano e outras provocações.
O grosso das compras da Coreia do Sul, mais de US$ 7 bilhões, vieram dos EUA, incluindo helicópteros de transporte e material de apoio, bem como veículos de vigilância aérea não tripulados.
O Iraque aparece em segundo, com US$ 7,3 bilhões em compras para reconstruir suas Forças Armadas após a retirada dos militares americanos do país.
O Brasil, outro país em desenvolvimento que constrói sua força militar, ficou em terceiro, com US$ 6,5 bilhões em contratos, sobretudo com a Suécia, que vendeu caças ao país.
MAIS ARMAS
O relatório para o Congresso aponta que a venda de armas no mundo cresceu ligeiramente em 2014 para US$ 71,8 bilhões, de US$ 70,1 bilhões no ano anterior. Apesar do aumento, o documento conclui que “o mercado internacional de armas provavelmente não está crescendo” por causa do “estado frágil da economia global”.
É o segundo ano de estabilidade nas vendas, o que sugere que o mercado começa a fixar um patamar após anos de flutuação extrema.
A falta de expansão, porém, incentivou a competição. Alguns produtores de armas adotaram medidas como financiamento flexível, garantias de contrapartida comercial e acordos de coprodução e montagem conjunta para garantir as vendas.
“Uma série de países exportadores de armas tem focado não só clientes com os quais mantém vantagem competitiva histórica ou relações de apoio militar consumadas, mas também em potenciais novos clientes em países e regiões em que não são fornecedores tradicionais”, escreve a autora do texto, Catherine A. Theohary.
Apesar da competição, o relatório conclui que os EUA devem continuar sendo o principal fornecedor de armas para países em desenvolvimento nos próximos anos.
O relatório anual feito pelo Serviço de Pesquisa do Congresso, uma divisão da Biblioteca do Congresso, foi entregue na última semana e analisa tendências no mercado de armas de 2007 a 2014.
Como em anos anteriores, a vasta maioria dos armamentos foi fornecida por países grandes e de economia estabelecida a países em desenvolvimento, que compraram US$ 61,8 bilhões em armamentos no ano passado.
Vários aliados americanos no Oriente Médio fizeram compras ou acordos importantes para se precaver em relação ao Irã. A Arábia Saudita, que foi o maior comprador de armas estrangeiras nos anos recentes, adquiriu US$ 4,1 bilhões em mísseis antiblindagem e outras armas. O Qatar comprou US$ 2,7 bilhões em defesas com mísseis e outros armamentos.
O relatório é considerado o documento público mais detalhado sobre vendas internacionais e é ajustado de acordo com a inflação.

Postagens mais visitadas deste blog

ÁUDIO: Capitão Styverson detona a Polícia Civil diz que agentes e delegados são preguiçosos.

O temido capitão da Lei Seca, Styverson Valetim, que faz um excelente trabalho nas blitzes de trânsito, criticou com veemência os integrantes da Polícia Civil em um áudio que circula pelos grupos de WhatsApp. “Meu trabalho funciona, pois só depende de mim. Não sou vinculado à Polícia Militar”, disse Styverson no áudio, fazendo críticas até a corporação que faz parte. Depois detonou a Polícia Civil: “O Policial Civil ganha muito bem e um delegado ganha R$ 23 mil para não fazer nada”. “Já denunciei as delegacias que não querem trabalhar por preguiça”, diz ainda o Capitão Styverson. (HeitorGregório).

Violência no Rio Grande do Norte - 29.05.2016

Casal aborda e da garupa da motocicleta mulher mata jovem no Igapó 190rn - Um homicídio foi registrado neste sábado no bairro de Igapó, vitimando um jovem identificado como Eduardo, conhecido como “Dudu”, que foi vítima de pelo menos quatro disparos de arma de fogo. Segundo informações de populares, a vítima estava em frente a uma residência quando um casal chegou no local em uma motocicleta e a mulher, que estava na garupa, atirou contra ele.
Após ter sido ferido, ele ainda foi socorrido ao Hospital Santa Catarina, mas não resistiu aos ferimentos, morrendo na unidade hospitalar. Mototaxista é executado dentro de casa em São Paulo do Potengi 190rn - Um homicídio foi registrado na madrugada deste domingo, na cidade de São Paulo do Potengi vitimando um mototaxista identificado como Paulo Sérgio, mais conhecido na cidade como “Rosinha”. A vítima foi alvejada por disparos de arma de fogo, quando estava na sua residência e ainda foi socorrido mais não resistiu aos ferimentos, morrendo antes da c…

Mega Fazenda de Lula na Argentina

Segundo o guia dos pescadores a Mega Fazenda pertence ao ex-presidente da República Luiz Inácio LULA da Silva e seu filho Lulinha. Assistam o vídeo e vejam onde o dinheiro do Brasil, do povo brasileiro está indo parar. (jonasmelloradialista)