Pular para o conteúdo principal

Impostômetro do RN

Câmara aprova 75% dos royalties para educação e 25% para saúde

srzd
Foi aprovado pela Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira, o projeto de lei que destina os royalties do petróleo para educação e saúde (PL 323/07). A votação determinou que 75% dos recursos do petróleo serão destinados à educação, com os 25% restantes investidos na saúde. Além da quantia, o texto prevê que 50% dos recursos totais do Fundo Social do pré-sal sejam destinados à educação. O texto, também aprovado pelo Senado, segue para a sanção da presidente Dilma Rousseff.
A aprovação aconteceu depois e um acordo entre o Palácio do Planalto e os líderes partidários. O texto original já havia sido aprovado em julho pelos deputados, antes do recesso. As alterações foram apreciadas nesta quarta, incluindo a proposta do deputado André Figueiredo (PDT-CE), que garantiu que 50% dos recursos recebidos pelo Fundo Social - uma espécie de poupança formada por recursos que a União recebe na produção do petróleo da camada pré-sal - serão destinados para a educação. O texto original, defendido pela base governista, previa a aplicação de 50% apenas dos rendimentos do Fundo Social.
 "Como nós não temos recursos nos próximos quatro, cinco anos, imediatamente nós [governo] vamos apresentar uma proposta que garanta que no início seja o principal do fundo, em seguida o rendimento, para combinar as duas coisas. Haverá mais recursos no curto prazo, mas preservando a médio e longo prazo a ideia do Fundo Social, para dar estabilidade para a economia, para ter recursos para as futuras gerações", anunciou Mercadante ao final do encontro com os líderes da Câmara.
Os recursos do petróleo que serão destinados para educação e saúde se referem apenas aos novos contratos da União, com comercialidade declarada a partir de 3 de dezembro de 2012. Royalties de campos em atividade com datas anteriores, como nos estados produtores do Rio de Janeiro e Espírito Santo, continuarão a ser aplicados pelos governos estaduais.

Postagens mais visitadas deste blog

ÁUDIO: Capitão Styverson detona a Polícia Civil diz que agentes e delegados são preguiçosos.

O temido capitão da Lei Seca, Styverson Valetim, que faz um excelente trabalho nas blitzes de trânsito, criticou com veemência os integrantes da Polícia Civil em um áudio que circula pelos grupos de WhatsApp. “Meu trabalho funciona, pois só depende de mim. Não sou vinculado à Polícia Militar”, disse Styverson no áudio, fazendo críticas até a corporação que faz parte. Depois detonou a Polícia Civil: “O Policial Civil ganha muito bem e um delegado ganha R$ 23 mil para não fazer nada”. “Já denunciei as delegacias que não querem trabalhar por preguiça”, diz ainda o Capitão Styverson. (HeitorGregório).

Violência no Rio Grande do Norte - 29.05.2016

Casal aborda e da garupa da motocicleta mulher mata jovem no Igapó 190rn - Um homicídio foi registrado neste sábado no bairro de Igapó, vitimando um jovem identificado como Eduardo, conhecido como “Dudu”, que foi vítima de pelo menos quatro disparos de arma de fogo. Segundo informações de populares, a vítima estava em frente a uma residência quando um casal chegou no local em uma motocicleta e a mulher, que estava na garupa, atirou contra ele.
Após ter sido ferido, ele ainda foi socorrido ao Hospital Santa Catarina, mas não resistiu aos ferimentos, morrendo na unidade hospitalar. Mototaxista é executado dentro de casa em São Paulo do Potengi 190rn - Um homicídio foi registrado na madrugada deste domingo, na cidade de São Paulo do Potengi vitimando um mototaxista identificado como Paulo Sérgio, mais conhecido na cidade como “Rosinha”. A vítima foi alvejada por disparos de arma de fogo, quando estava na sua residência e ainda foi socorrido mais não resistiu aos ferimentos, morrendo antes da c…

Mega Fazenda de Lula na Argentina

Segundo o guia dos pescadores a Mega Fazenda pertence ao ex-presidente da República Luiz Inácio LULA da Silva e seu filho Lulinha. Assistam o vídeo e vejam onde o dinheiro do Brasil, do povo brasileiro está indo parar. (jonasmelloradialista)